Bairros seguros em SP: conheça 7 opções para viver com tranquilidade

Tempo de leitura: 4 minutos

São Paulo é uma cidade enorme e saber quais são os bairros mais seguros de SP para morar é um passo importante. Confira os dados! 

A cidade de São Paulo tem tamanho, orçamento e população maior que vários países. Dentro dessa megalópole brasileira, é comum que a segurança esteja entre as maiores preocupações na hora da escolher um bairro para morar.

Uma vez que você tem uma pré-seleção regional em mente (zona oeste ou zona sul? Perto do trabalho ou da escola?), há diversas maneiras de abordar essa questão para entender se aquele bairro é seguro mesmo. Você pode:

  • Conversar sobre a rotina com amigos e colegas que moram lá
  • Andar por suas ruas de dia e de noite para entender se algo muda
  • Utilizar os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado

Não é por acaso que os bairros nobres e mais cobiçados de São Paulo, que se concentram na zona oeste e no centro expandido, estejam próximos uns dos outros: além de terem ótima infraestrutura, comércio bem estabelecido e opções de transporte público, são conhecidos por serem bairros seguros para morar em SP.

Leia também: Conheça bairros onde a Loft atua em SP!

Os bairros mais seguros de SP

A Loft foi atrás dos dados de 2018, disponíveis online gratuitamente, para entender quais são alguns dos bairros mais seguros de SP. Os dados são organizados por delegacias de polícia (há mais de 135 listadas), as DPs, e tipo de ocorrência.

As comparações foram feitas de acordo com o número total de ocorrências na cidade e com categorias específicas de furto de itens e veículos (que responde por quase 50% das ocorrências) e roubo de itens e veículos (cerca de 25%).

Segundo José Elias de Godoy, fundador da Suat, que atua há duas décadas com segurança condominial, é importante conduzir a análise conjuntural do bairro com esses dados. “Escolha seis ou sete índices, como homicídio, furto e roubo de veículos e outros, para analisar”, sugere.

Pontos de atenção na hora de avaliar os dados:

  • Índices acima de 15% são muito altos
  • Bairros com índices baixos atualmente incluem Moema e Parque da Mooca
  • Alguns bairros são tão grandes que possuem mais de uma Delegacia de Polícia para atendê-los. Certifique-se de que está analisando a DP correta, que atende a rua do imóvel

Moema 

Na Delegacia de Polícia do Campo Belo, responsável por Moema, os números se destacam (muito!) positivamente. Não é à toa que é o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade neste que é um dos bairros mais seguros de SP. Nenhuma das comparações chega a 1%: apenas 0,9% das ocorrências aconteceram na região e o número de roubos não chega a 0,8%.

Itaim Bibi, Vila Nova Conceição e Vila Olímpia 

A mesma Delegacia de Polícia atende os três bairros que desfrutam do verde vizinho dos parques do Povo e Ibirapuera. Isso torna a (boa!) surpresa ainda maior: menos de 1,5% das ocorrências acontece na região, que tem baixíssima incidência de roubos e furtos. 

Higienópolis 

Segundo dados da Delegacia de Polícia da Consolação, que responde por Higienópolis, famoso pela riqueza cultural e arquitetônica, apenas cerca de 2% das ocorrências acontecem por lá. 

Jardins 

Nesse tradicional bairro de São Paulo, ladeado pelo coração cultural da cidade, a Avenida Paulista, foram registradas apenas 2,85% das ocorrências (elas incluem também o que ocorre nessa via tão movimentada). Pode aproveitar a arborização e os edifícios de alto padrão!

Pinheiros

Nessa região ampla, que abarca também Alto de Pinheiro, as ocorrências respondem por 2,52% do número total da cidade e os roubos – mesmo em tantos quilômetros quadrados! – não chegam a 1,5% de sua categoria.

O que avaliar nas ruas e no prédio?

Quando estiver visitando a região do imóvel pessoalmente, José Elias indica que se avalie:

  • Se a rua é movimentada ou erma
  • Se a rua tem boa iluminação
  • Se a rua é rota de viaturas da polícia

Em seguida, entra a segunda análise importante: do prédio. Comece pela entrada: observe quantos portões há, se a guarita é blindada e quais são os tipos de controle de acesso, como presença de câmeras e interfones.

José Elias, que hoje atende dois condomínios assaltados por semana, explica que 90% das ocorrências acontecem pela porta da frente, a maioria devido a falha nos procedimentos de segurança por parte dos funcionários.

Mas o morador também tem sua função. “A segurança no condomínio tem três aspectos: a parte física, o investimento no funcionário e a conscientização do morador, que precisa seguir as regras e normas. Ao fechar esses três lados do triângulo, você consegue um grau maior de segurança.” 

Bairros seguros para morar em SP: como encontrar os melhores apartamentos

A Loft está constantemente expandindo sua área de atuação, mas faz questão de marcar presença nos bairros seguros para morar em SP, onde ficam prédios de alto padrão e alguns dos melhores apartamentos da cidade.

Além disso, a Loft está sempre disponível para ajudá-lo a encontrar um imóvel que realmente atenda às suas expectativas.

A segurança residencial moderna do prédio está na sua lista de prioridades? É só fazer contato e um representante do time vai encontrar o edifício perfeito para você – com o apartamento perfeito dentro. Explore o portfólio da Loft!

Conclusão: bairros mais procurados de São Paulo têm fatores em comum

Os bairros mais procurados para se morar em São Paulo são bons por uma série de motivos:

  • Presença de áreas verdes
  • Malha de transporte público bem estabelecida
  • Opções diversificadas de lazer e compras
  • Infraestrutura completa 
  • Muita segurança

Em uma cidade com 12 milhões de pessoas, não existe um lugar em que absolutamente nada acontece. “No mundo inteiro, na verdade, não existe 100% de segurança”, diz José Elias. Como vimos aqui, pelo menos é possível buscar pelos bairros mais seguros de SP e mitigar os riscos – e a Loft te ajuda a encontrar a melhor opção em cada um deles!

Leia também: Você sabe (mesmo) quais fatores pesam na sua taxa de condomínio?