Afinal, o banco pode negar financiamento de imóveis? Entenda aqui!

banco pode negar financiamento
Tempo de leitura: 3 minutos

Entenda em quais situações o banco pode negar financiamento, quando cabe defesa e como se preparar para o pedido.

Antes de definir as condições de um financiamento imobiliário, como prazo e taxa de juros, os bancos levam em conta uma série de dados em sua análise inicial. É aqui, nessa primeira fase de aprovação, que o banco pode negar financiamento – o que nem sempre é definitivo!

O que o banco avalia na hora de financiar

Os bancos avaliam a renda e o histórico do potencial tomador para determinar quanto ele pode comprometer com um financiamento imobiliário (no máximo 30% dela). Essa renda também pode ser composta com outros membros da família e deve ser comprovada através de:

  • Holerites (para quem trabalha com carteira assinada) 
  • Declarações de Imposto de Renda e extratos bancários (para outros profissionais)

Em termos de valor a ser financiado (que se torna o saldo devedor), o crédito costuma ficar na casa dos 80% – o que pode variar para baixo de acordo com as regras de cada produto e também com o histórico de crédito do cliente. O restante deve ser pago à vista, como entrada. 

Entre os documentos solicitados nessa primeira fase de aprovação de crédito estão: 

  • RG e CPF originais
  • Certidão de casamento ou união estável (quando há)
  • Comprovante de residência
  • Comprovante de renda
  • Carteira de Trabalho, extrato do FGTS e autorização para movimentação da conta (quando há)
  • Certidão conjunta negativa de débitos relativos a tributos Federais e à Dívida Ativa da União

Leia também: Entenda a documentação necessária para compra e venda de um imóvel

Quando o banco pode negar financiamento?

O banco pode negar financiamento imobiliário quando o potencial tomador tem: 

  • Nota baixa no score de crédito (que avalia histórico individual no mercado de crédito e probabilidade de inadimplência) 
  • Restrições internas naquele banco (que podem surgir com dívidas não pagas e caducadas, protestos e liquidações a prejuízo – aquelas dívidas quitadas em valor menor que o devido)

Em alguns casos negados (como uma restrição de valor baixo) é possível entrar com uma defesa de crédito e pedir que aquela instituição bancária reconsidere a decisão. 

Tudo depende, no entanto, do grau do problema. Se houver atraso em muitos pagamentos diversos, uma dívida interna (como de cartão de crédito) tiver sido renegociada no menor valor ou houver histórico de cheque sem fundos, por exemplo, não há defesa cabível atualmente. 

Como se preparar para um financiamento imobiliário?

O primeiro passo é entender qual apartamento cabe no seu bolso. Lembre-se que, via de regra, a parcela máxima de seu financiamento corresponderá a 30% da sua renda.

Assim, já com uma visão mais realista dos valores com que você pode se comprometer, busque manter uma boa relação com os bancos, não gerando prejuízos internos e não atrasando pagamentos de cartão de crédito, empréstimos e financiamentos.

Isso não significa que você precisa estar “zerado” em termos de tomada de crédito quando quiser comprar um imóvel: pode ter, sim, outros empréstimos vigentes.

Mas há um ponto de atenção: não pode ter alto comprometimento de renda. O banco pode negar financiamento quando a soma de suas parcelas de empréstimos e financiamentos em aberto, somados ao pleito do novo financiamento, for maior que 30% da renda comprovada.

Por isso, pode fazer mais sentido criar estratégias para quitar parte do que está em aberto para liberar mais espaço no orçamento antes de começar a busca por financiamento imobiliário.

Leia também: Saiba comparar taxas de financiamento e quais são as atuais do mercado

Use seu score de crédito a seu favor

Caso você ou seu parceiro estejam com nome “sujo” na praça, é preciso traçar um plano para negociar e pagar as dívidas pendentes e começar a pagar contas em dia. Com um um score de crédito alto, você amplia suas chances de aprovação e tem acesso a melhores condições. 

Vale dizer que, há quase uma década, existe também um cadastro positivo no Brasil. Como a inscrição de CPFs nesse banco de dados é automática desde 2019, você já tem um cadastro desse tipo. 

E se pagou empréstimos e/ou contas de consumo recorrente (água, luz, internet, etc.) em dia nos últimos anos, provavelmente tem uma boa pontuação – o que pode ser utilizado por instituições financeiras como prova de que você tem alta probabilidade de honrar seus compromissos financeiros. 

É possível checar gratuitamente tanto seu score de crédito quanto seu cadastro positivo em órgãos de proteção ao crédito como Serasa e Boa Vista.

Loft Cred: uma assessoria gratuita para te ajudar

Se você está pensando onde fazer financiamento, boa notícia: você pode centralizar os pedidos para as principais instituições financeiras no Loft Cred! Essa é a assessoria de crédito imobiliário 100% gratuita da Loft, disponível para ajudá-lo a cada passo do processo.

E você nem precisa estar comprando um imóvel do portfólio da Loft para isso: o acesso é aberto para pessoas de todo o Brasil e a equipe é preparada para encontrar as melhores taxas do mercado para você. 

Se você acha que o banco pode negar financiamento no seu caso, o Loft Cred também está preparado para auxiliá-lo. Com a resposta da instituição, atendentes vão orientá-lo em casos passíveis de defesa e também em casos passíveis de regularização cadastral e financeira
Conheça mais sobre o Loft Cred!