Cachorro para apartamento: o que você precisa saber para ter um

cropped-cachorro-para-apartamento-loft-1.jpg
Tempo de leitura: 11 minutos

Quer ter um cachorro e mora em apartamento? Conheça as raças de cães, aprenda a lidar com os comportamentos mais comuns, veja como decorar seu imóvel da melhor forma para dar mais conforto ao pet e saiba as regras básicas de convivência com os vizinhos

Ter um animal em casa é uma delícia: você ganha companheirismo e diversão com um bichinho que está sempre feliz em te ver. Encontrar o companheiro ideal para ser seu cachorro em apartamento, no entanto, exige informação. Neste artigo, há dicas sobre raças de cachorro, cuidados básicos com o pet e regras de condomínio para que você nunca seja pego de surpresa.

O tamanho do imóvel não é tão importante quanto parece, por exemplo. É possível ter um yorkshire ansioso em um apartamento de 300 metros quadrados e dois huskies tranquilos num apartamento de 54 metros quadrados – caso de Minerva e Pandora, como contará Danielle Dalbosco, dona da dupla e do perfil @apt1002 no Instagram.

A boa notícia é que, com um pouco de pesquisa e comprometimento, qualquer cão pode se tornar um bom cachorro de apartamento.

Moro em apartamento e quero um cachorro, por onde começo?

Antes de tudo, é preciso entender se você está realmente disposto a manter um cachorro para apartamento feliz e saudável. Sua rotina comporta dedicar algumas horas por dia ao seu pet? Deve haver tempo para passear com ele, para alimentá-lo, para brincar com o cãozinho e para educá-lo.

A especialista em comportamento animal Luiza Cervenka aponta ainda outro fator que deve ficar no seu radar: lembrar-se de que não se trata de um ser humano pequeno e peludo. Cães têm seus comportamentos naturais e você precisa saber quais são.

Depois, é importante voltar sua atenção para o planejamento financeiro. É claro que um cachorro ainda é um comprometimento menor das suas finanças do que um filho, por exemplo, mas você deve refletir: moro em apartamento e quero um cachorro, porém só tenho como arcar com a alimentação dele no momento, sem direito a gastos extras – será que estou preparado?

Como qualquer ser vivo, cachorros para apartamento podem ficar doentes e necessitar de assistência emergencial, que costuma custar caro. Vale pesquisar se cães daquela determinada raça geralmente têm algum problema de saúde ou se precisam de cuidados especiais. Muitas vezes, pode valer a pena contratar um plano de saúde para pets.

6 cuidados básicos de como criar cachorro em apartamento

É normal que surjam muitas dúvidas sobre como criar cachorro em apartamento. O bichinho pode conviver com outros animais? Se for um cão de porte pequeno, posso pular os passeios diários?

Para ajudar a guiar novos tutores de animais de estimação, a Comissão de Criadores da CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia), parceira do Instituto Pet Brasil, desenvolveu uma cartilha da boa criação. Com base na cartilha, montamos um passo a passo para evitar problemas ao criar cachorro em apartamento:

1) Todo cão precisa de um espaço adequado no apartamento protegido do sol e da chuva, assim como de frio e calor, e sempre limpo. Isso ajuda na prevenção de doenças e no bem-estar do animal; 

2) Não importa o porte do bicho ou a metragem do seu imóvel, é preciso levar o cão para se exercitar fora de casa todos os dias. Procure passear em horários mais frescos, use sempre a guia e recolha as necessidades do animal;

3) Não dependa só de pelúcias: invista em brinquedos e mordedores adequados para cada tamanho e tipo de energia, assim como práticas como agility;

4) Permitir, sempre que possível, a interação com outros pets. Afinal, seu cão precisa brincar e gastar energia, mas sempre com cuidados para preservar a integridade física de todos;

5) Não esqueça do check-up: leve-o ao veterinário pelo menos 1 vez por ano;

6) Evite deixá-lo sozinho por longos períodos (falamos mais sobre isso ao longo do artigo).

Além disso, é essencial oferecer alimentação adequada para o porte, a raça e a idade do seu cão. Animais acima ou abaixo do peso ideal podem ter sérios problemas de saúde. E lembre-se de que há alimentos proibidos para cães, como chocolate, uvas, cebola, doces e massas em geral.

Assine nossa newsletter


Melhor cachorro para se ter em apartamento: isso existe?

Acima de qualquer pedigree (ou ausência dele, no caso dos amáveis vira-latas), um animal é um animal. Ou seja, o melhor cachorro para se ter em apartamento, um que se adapte a essa circunstância muito melhor que outros, não existe.

O que realmente impacta a vida e o comportamento dos cães é o comportamento do tutor. “Não é porque um lulu-da-pomerânia é pequenininho e peludinho que eu posso colocá-lo em um apartamento e pronto. Ele também tem grandes necessidades de passeio e disciplina”, exemplifica Luiza.

Longe de cercear suas opções, esse raciocínio na verdade amplia o leque de possíveis novos amigos caninos. “É possível ter um border collie ou um golden retriever dentro de um apartamento? Sim! Desde que você ofereça o que ele precisa”, continua a especialista em comportamento animal.

Há algumas maneiras de prever e saciar as necessidades de cada cão:

1. PESQUISE A RAÇA DE CACHORRO

Já existem perfis precisos das raças de cães. Faça uma extensa pesquisa online para entender a origem (se é uma raça de pastoreio, alarde, caça ou companhia), os comportamentos comuns, os tipos de personalidade, problemas de saúde, entre outros fatores.

Assim, é possível entender que um jack russell terrier, mesmo sendo um cachorro de raça pequena, precisa de mais caminhadas e desafios que um golden retriever, um cachorro grande – e avaliar se você de fato tem como encaixar esses momentos na sua rotina para deixá-lo feliz.

2. CONVERSE COM QUEM JÁ TEM EXPERIÊNCIA

Tenha contato com quem já lidou com a raça e que pode te responder se aquele é, de fato, o melhor cachorro em apartamento para você. “Na internet, tudo é lindo. Você só vai saber como é de verdade ao conversar com um tutor que tenha passado por todas as fases”, diz Luiza.

Justamente por isso, Danielle se esforça para criar conteúdos que mostrem sua rotina real. Isso inclui passar o aspirador na casa várias vezes por dia, pagar creche diária para suas cadelas e levá-las todo fim de semana ao parque, para que possam gastar mais energia e interagir com outros cães.

“Tento pregar essa conscientização em relação aos animais. Eles não são brinquedos. Não se pode tê-los pela questão estética ou até por status e não prestar atenção nisso”, explica ela, citando casos de abandono de quem teve suas expectativas frustradas.

É importante lembrar que abandono e maus-tratos a animais é crime no Brasil, com pena prevista pela Lei de Crimes Ambientais (9.605/98) é de 3 meses a 1 ano de detenção, além de multa. Um projeto de Lei foi aprovado pelo Senado para aumentar o tempo de detenção para 1 a 4 anos para quem maltratar ou ferir animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, ainda que por negligência.

3. FAÇA UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Outro conselho – ainda mais importante – é planejar suas finanças. Uma raça de cachorro de trabalho como o husky siberiano tem um extraordinário nível de energia, que precisa ser gasto todos os dias para evitar ansiedade nos animais e destruição em casa.

Por isso, antes da chegada de Minerva, Danielle se preparou para dedicar parte do dinheiro mensal para uma creche de animais. “Saio de manhã para o trabalho, deixo as duas lá e busco no fim do dia, como crianças.”

E não é só para manter a casa sem destruição. “Eu não tinha como ter um apartamento todo planejadinho e depois deixá-las sozinhas o dia inteiro”, fala. “Seria um fracasso com os bichos.”

CONHEÇA RAÇAS DE CACHORRO INDICADAS PARA APARTAMENTO

A American Kennel Club, uma das principais instituições para raças de cachorro do mundo, fez uma lista pensando em quem tem dúvidas sobre o tamanho e as particularidades das diversas raças de cães. Você vai notar que a opção para raça de cachorro pequeno é maior. Isso significa que você deve se ater apenas a ela? Não! Desde que você atente às necessidades da raça pela qual se interessou, é possível ter um cachorro grande em apartamento.

cachorro-em-apartamentos-comportado-loft
Um cachorro comportado ajuda na construção de uma boa experiência em ter um pet morando com você

CACHORROS PEQUENOS (CACHORRO PORTE PEQUENO)

Conheça as opções de raça de cachorro pequeno para apartamento (ou seja, aquele cachorro que não cresce muito):

  • Affenpinscher
  • Terrier Australiano
  • Basenji
  • Basset Fulvo da Bretanha
  • Bedlington Terrier
  • Yorkshire Terrier
  • Shih Tzu
  • Bichon Frise
  • Biewer Terrier
  • Bichon bolonhês
  • Border Terrier
  • Boston Terrier
  • Griffon de Bruxelas
  • Cairn Terrier
  • Cardigan Welsh Corgi
  • Cavalier King Spaniel
  • Terrier Checo
  • Chihuahua
  • Cão de crista chinês
  • Bulldog Francês
  • Spitz Alemão (uma de suas versões é o lulu-da-pomerânia)
  • Bichon Havanês
  • Maltês
  • Pug
  • Pequeno Cão Russo
  • Bolonka

CACHORROS MÉDIOS (CÃES DE PORTE MÉDIO)

  • Keeshond (variedade do Spitz Alemão)
  • Cocker Spaniel
  • Bulldog
  • Cão Esquimó Americano
  • American Hairless Terrier (Terrier Pelado Americano)
  • Barbet
  • Basset Hound
  • Teddy Roosevelt Terrier
  • Whippet

CACHORROS GRANDES (CACHORROS DE PORTE GRANDE)

  • Greyhound (Galgo Inglês)

Para aprender mais sobre raça de cachorro grandes, clique aqui!

PARA QUEM BUSCA UM CACHORRO QUE SOLTA POUCO PELO

A American Kennel Club indica as seguintes raças para quem busca um cachorro que não costumam soltar muitos pelos:

  • Bedlington Terrier
  • Bichon Frise
  • Cão de Crista Chinês
  • Coton de Tulear
  • Cão d’Água Irlandês
  • Kerry Blue Terrier
  • Maltês
  • Poodle
  • Cão d’Água Português
  • Schnauzer (miniatura, standard ou gigante)
  • Soft Coated Wheaten Terrier
  • Xoloitzcuintli (Pelado Mexicano)
  • American Hairless Terrier (Terrier Pelado Americano)
  • Lagotto Romagnolo
  • Cão d’Água Espanhol
  • Galgo Afegão
  • Cão Pelado Peruano

Como pensar na decoração tendo cachorro em apartamento

Não é só porque você tem um animal que precisa deixar o décor de lado, pelo contrário. Criar um cachorro em apartamento pode, inclusive, ajudar a definir o estilo do seu imóvel. Como os cães necessitam de mais espaço de circulação, por exemplo, pode ser que você decida investir em uma decoração minimalista. E se a decoração for rústica ou industrial, é provável que os objetos maiores do seu pet, como uma casa de cachorro, fiquem bem camuflados nos ambientes.

Danielle Dalbosco, dona das huskies siberianas Pandora e Minerva (de 3 anos e 1 ano, respectivamente), fez a reforma de seu imóvel ao lado da primeira filhote. “Tenho lembranças dela no apartamento completamente vazio”, fala.

Com toques de estilo industrial, o apartamento tem 54 metros quadrados, dois quartos e fica no 10º andar de um prédio em Santo Antônio, bairro de Porto Alegre. Adquirido na planta em 2013, foi entregue três anos depois e ela logo mergulhou nos aspectos de decoração.

Foi para compartilhar esse processo que criou seu Instagram (@apt1002), hoje com 69,5 mil seguidores. Apaixonada por huskies desde a infância, ela pesquisou detalhes da raça e boas práticas de decoração para animais sem descuidar do orçamento.

TIPOS DE PISO E TECIDO

No lugar de piso laminado, que se enche d’água, Danielle optou por um piso vinílico fácil de limpar. O material é especialmente útil no verão, quando a dupla de huskies derruba potes de água para se refrescar. No caso do sofá, ela preferiu revestir com linho sintético, que resiste às unhadas e às brincadeiras.

Sem cara de “casa de cachorro”: Pandora e Minerva brincam no quarto

Desde o protetor de colchão até a marca do aspirador, as perguntas mais frequentes que ela recebe hoje são sobre a temática cachorro em apartamento. Um dos principais conselhos que dá? Buscar espaços funcionais, com móveis em linhas retas e menos coisas em geral.

LIMPEZA E ORGANIZAÇÃO DA CASA

Já fez uma visita a um amigo que tem cachorro em apartamento e conseguiu sentir o odor do bichinho já na entrada? Como todos os animais – inclusive os seres humanos -, cachorros têm um cheiro característico. É a forma como os cães reconhecem outros cães, quase como um cartão de visitas (observe como eles cheiram o “bumbum” de outros cachorros).

Talvez você não consiga ter uma casa sem cheiro de cachorro, afinal seu pet mora lá. Mas a limpeza frequente ajuda bastante, assim como manter a higiene do animal em dia. Caso o cão faça xixi no lugar errado, uma solução de bicarbonato de sódio, vinagre e água ajuda a eliminar o mau cheiro. E para melhorar o cheiro dos ambientes, você pode fazer uso de aromatizadores.

No quesito higiene do pet, os banhos não devem ser frequentes demais – a cada três semanas é o suficiente. Escove os pelos e os dentes do cão e limpe bem a área onde ele dorme pelo menos duas vezes por semana. As vasilhas de água e comida devem ser higienizadas todos os dias – afinal, ninguém quer comer e beber na louça suja, não é?

Apesar de ter incluído uma rotina diária de limpeza, Danielle também aprendeu a desapegar um pouco da ordem. “Sempre queremos algo perfeito, mas isso é realidade de feed de Instagram”, diz. “Não é para passar o tempo todo limpando e arrumando, você tem que curtir a casa também. Não se estresse demais.”

Dicas para pensar o espaço para cachorro em apartamento

Para quem está pensando em encontrar ou adaptar um imóvel com o pet em mente (e sem que se torne só uma casa de cachorro), Luiza Cervenka dá as dicas para planejar o espaço para cachorro em apartamento:

1) Busque boa incidência solar e circulação de ar;

2) Olhe para baixo: chãos muito lisos, como porcelanato sem textura ou laminados, são mais escorregadios, especialmente para animais de pêlo longo como pequinês, shih tzu e golden retriever;

3) Escadas são sinal amarelo: há raça de cachorro (pug ou bulldog) com propensão para problemas de coluna;

4) Deixe o pote de água a pelo menos 1,5 metro do pote de comida, e ambos a pelo menos 2 metros da área reservada para necessidades – que deve ser separada da área de dormir;

5) Saiba se há plantas tóxicas quando ingeridas, caso da aparentemente inofensiva samambaia – se houver, deixe-as inacessíveis.

Como deixar cachorro sozinho em apartamento?

Idealmente, cachorros para apartamento não passariam mais de 4 horas sozinhos, o que é bastante difícil com a rotina de trabalho da maioria das pessoas. Felizmente, há várias opções para deixá-los menos solitários enquanto você está fora de casa, como creches (daycares), passeadores (dog walkers) e pet sitters.

Se forem corretamente educados, estimulados e se sentirem seguros, é possível deixar cachorro sozinho em apartamento, sim! O que o tutor precisa fazer é montar um plano de ação de entretenimento do animal. “Pense em formas de desafiar o animal como se eles estivessem em seu ambiente natural”, resume Luiza. “Nosso estresse vem do excesso de coisas a fazer e, o deles, do tédio“, continua.

cachorro-para-apartamento-cachorro-bagunceiro-loft
um cachorro bagunceiro no apartamento pode ser sinônimo de problemas

Isso significa investir em brinquedos adequados e desafiadores, como aqueles em que é possível esconder porções de ração, e até mesmo em novidades como a Dog TV, que estimulam os bichos visual e auditivamente.

Se isso não for suficiente para deixar cachorro sozinho em apartamento, volte a cogitar ajuda externa de dog walkers, adestradores e pet sitters, que vão aliviar o tédio com suas visitas.

Regras de condomínio: boas práticas para conviver com os vizinhos

Quem mora em um prédio já sabe: impossível esquecer que há pessoas ao seu redor. Leve isso em consideração quando estiver pensando em ter cachorro em apartamento. O bom senso é a chave para a boa convivência com os vizinhos e evita a geração de multas por transtornos que seu cão possa causar.

Busque criar um ambiente tranquilo para que ele não lata demais, delimite corretamente onde fazer as necessidades, mantenha a casa a limpa e não assuma que, só porque você acha que tem um dos melhores cachorros para apartamento do mundo, seu vizinho vai concordar com você.

“É importante lembrar que eu escolhi ter o cachorro, mas meu vizinho não”, avisa Luiza. “Por mais que seja meu bem mais precioso, é preciso lembrar que a liberdade dele esbarra na liberdade dos outros.” Um cachorro de apartamento saudável e bem estimulado, no entanto, não trará problemas.

A solução que muitos tutores recorrem é o adestramento de cães. Com ajuda profissional, é possível treinar o cachorro para não latir quando ouvir o interfone ou a campainha, assim como passear sem puxar a coleira e não pular nas pessoas. Isso será útil para quando você estiver circulando nos corredores do condomínio com seu pet. E lembre-se de que animais de estimação devem utilizar apenas os elevadores de serviço.

Um último aviso? Mesmo que seja o bichinho mais adestrado do país, há regras condominiais e municipais que exigem uso de coleira. Só circule sem guia em lugares públicos destinados aos animais – em São Paulo, por exemplo, o Parque Villa-Lobos, em Pinheiros, e o Parque Buenos Aires, em Higienópolis, têm áreas exclusivas para cães.

Já tem o cachorro em mente, mas ainda não sabe qual é o apartamento?

Agora que já sabe o que é necessário para criar cachorro em apartamento, fica mais fácil encontrar o imóvel ideal para a sua família. Em pouco mais de um ano desde sua fundação, a Loft já tem mais de 120 imóveis de alto padrão disponíveis nos bairros nobres de São Paulo. É possível morar em Higienópolis ou Pinheiros, por exemplo, e estar perto de parques com áreas dedicadas aos cães.

O portfólio de apartamentos à venda da Loft oferece apartamentos reformados de 33 m² a 323 m², com infraestrutura totalmente renovada (elétrica, hidráulica, piso e acabamentos). Os imóveis têm garantia de um ano e manual de construção, apresentando as modificações realizadas na reforma de apartamento.

Conheça todos os nossos apartamentos em nosso site e tire suas dúvidas sobre mercado imobiliário no nosso blog.