Comissão de corretor de imóveis: como funciona esse mercado?

cropped-comissao-corretor-imoveis-calculando-loft.jpg
Tempo de leitura: 4 minutos

Todo mundo sabe que a comissão é a parte mais importante da renda do corretor de imóveis. Mas como ela é calculada? Quem é responsável por essa comissão? Saiba aqui.

Na vida financeira do corretor de imóveis uma variável é de extrema importância: a comissão paga quando da compra, venda ou aluguel de um imóvel. É ela que compõe boa parte da renda do profissional — ou quase a totalidade dela, no caso dos corretores autônomos. Por isso, é fundamental para o corretor de imóveis saber com precisão como a comissão é calculada e quem deve pagar por ela nos diferentes tipos de transação.

QUAL É O PERCENTUAL DA COMISSÃO DE CORRETOR DE IMÓVEIS?

Por ser um valor relativamente variável, talvez nem todo mundo saiba que a comissão de corretor de imóveis já teve um percentual regulamentado por lei. Até recentemente, esse número era estabelecido pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis, o Creci, de cada estado brasileiro.

 Em 2018, no entanto, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) proibiu o tabelamento da corretagem (a taxa de comissão) de imóveis. O Creci, no entanto, ainda mantêm recomendações que norteiam a precificação do mercado. Em São Paulo, a tabela do Creci define os seguintes valores:

  • imóveis urbanos: 6% a 8% para o corretor
  • imóveis rurais: 6% a 10% para o corretor
  • imóveis industriais: 6% a 8% para o corretor
  • venda judicial: 5% para o corretor
  • venda de empreendimentos imobiliários: 4% a 6% para o corretor

Esses percentuais servem de base para o cálculo da comissão, mas vale lembrar que o valor final acaba dependendo do que foi acordado entre o corretor e seu contratante. Por isso, é importante ter os números determinados pelo Creci em mente para poder negociar. 

Se o profissional trabalha em parceria com uma imobiliária ou construtora, por exemplo, a empresa pode oferecer outros benefícios como compensação por uma porcentagem menor de comissão. Já o corretor de imóveis autônomo tem mais liberdade para definir o percentual da comissão junto ao seu cliente.

QUEM PAGA A COMISSÃO DE CORRETOR DE IMÓVEIS?

Ao regulamentar a profissão de corretor de imóveis, o código civil estabelece que o profissional deve receber a comissão “uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude de arrependimento das partes”. 

Mas quem paga a comissão? Considerando que a função do corretor é fazer a intermediação para que o negócio imobiliário se concretize da melhor forma possível, a resposta é: quem contratou o profissional é quem paga sua comissão. 

A lógica é simples. Se uma incorporadora contrata um corretor de imóveis para fazer vendas em um novo empreendimento, quem paga a comissão quando um apartamento é vendido é a própria incorporadora. Da mesma forma, se o proprietário de um imóvel negocia com um corretor para vendê-lo, é ele quem paga a comissão. 

O mesmo vale para um comprador que procura um corretor de imóveis para ajudá-lo na busca pela casa ou apartamento ideal. Quando a compra se efetiva, o novo proprietário é o responsável por pagar o percentual de comissão ao profissional que o auxiliou no processo.

QUEM PAGA A COMISSÃO DO CORRETOR DE IMÓVEIS NA PERMUTA?

Como a comissão é responsabilidade de quem contrata o corretor de imóveis, uma situação como a de permuta — isto é, a troca de um imóvel pelo outro — pode gerar dúvidas em relação ao pagamento da porcentagem devida ao profissional. Segundo o Creci de São Paulo, não é muito difícil resolver a questão: os honorários devem ser calculados com base no valor de venda de cada imóvel.

O que isso significa? Basicamente que cada proprietário paga ao corretor a comissão relativa a seu respectivo imóvel que foi colocado em permuta. O Creci ressalta que a mesma lógica se aplica quando há mais de um empreendimento envolvido na transação, ou seja, a comissão do corretor é estabelecida de acordo com o valor de todos os imóveis que entram em negociação e os respectivos proprietários é que são responsáveis pelo pagamento.

O advogado Júlio Cesar Sanchez esclarece como funcionam as negociações e os honorários do corretor nos casos de permuta de imóveis

POR QUE TRABALHAR COM A LOFT VALE A PENA PARA O CORRETOR DE IMÓVEIS?

A Loft oferece diversas vantagens aos seus corretores parceiros, inclusive no que diz respeito à comissão, já que oferecemos percentuais de 7% por imóveis  em obras e 6% por aqueles que já estão prontos

Thiago Porrio, nosso especialista em canais, explica que apesar de o Creci recomendar uma faixa de 6% a 8% para a comissão do corretor sobre imóveis urbanos, valores acima de 6% são pouco praticados no mercado.

“A atitude de praxe do mercado é pagar até 6%, e a Loft paga 7% quando o apartamento ainda está em obras. Isso é vantajoso porque o corretor ganha 1% a mais do que ganharia em grande parte dos negócios imobiliários”, diz ele. “É uma porcentagem totalmente fora do habitual.” 

Thiago lembra, ainda, que o grande diferencial dos apartamentos da Loft são os valores adotados. “São preços competitivos e, além disso, o nível de reforma é incrível e com os melhores materiais. O cliente com certeza gastaria muito mais dinheiro e tempo para fazer uma reforma desse tipo.”

Por isso, segundo ele, qualidade oferecida pela Loft facilita o trabalho do corretor. “É mais fácil vender um apartamento pronto e reformado do que um imóvel que ainda está todo bagunçado e precisa de reforma.” 

Thiago também destaca que a Loft realiza uma minuciosa auditoria jurídica em todos os seus apartamentos e disponibiliza todas as fotos e informações sobre eles — assim o corretor tem todos os detalhes que o cliente precisa saber na palma da mão. 

Oferecemos todas essas vantagens porque acreditamos que a expertise e a compreensão dos corretores sobre os clientes são a chave para transformar a maneira de comercializar apartamentos. Faça seu cadastro e torne-se parceiro da Loft para mudar o futuro do mercado imobiliário.