Como trabalha um corretor de imóveis autônomo?

cropped-corretor-de-imoveis-autonomo-loft-1.png
Tempo de leitura: 8 minutos

Conheça a rotina, as habilidades essenciais e as oportunidades de marketing de um corretor de imóveis autônomo.

A Federação Nacional dos Corretores de Imóveis estima que haja cerca de 350 mil corretores de imóveis ativos no Brasil. Embora não existam dados sobre a quantidade de autônomos entre eles, o número não deve ser pequeno.

Afinal, os desafios que esse tipo de profissão oferece atraem tanto quem tem perfil para trabalhar de forma independente (criando seus próprios horários, metas e objetivos) quanto quem quer dar uma guinada na carreira (e aproveitar os sinais de retomada do mercado imobiliário).

O que faz um corretor de imóveis autônomo?

O trabalho não difere daquele do corretor de imóveis que trabalha em uma imobiliária. De forma resumida, esse profissional intermedia a compra, venda, permuta, administração e locação de imóveis (residenciais ou comerciais, urbanos ou rurais, apartamentos ou edifícios). Essa intermediação é paga na forma de corretagem, uma comissão pré-acordada.

O cotidiano é bastante dinâmico e pode incluir visitas com clientes, andanças para descobrir novos imóveis, redação/manutenção de anúncios e conversas com advogados, administradores e gerentes de bancos, entre outras opções.

Corretor de imóveis autônomo ou filiado à imobiliária: qual é melhor?

Como qualquer profissão, a de corretor de imóveis autônomo tem seus prós e contras. 

Por um lado, o autônomo é livre para fazer seus próprios horários, decide com quais tipos de imóveis e em quais áreas quer trabalhar e garante 100% de sua comissão. De forma geral, tem mais liberdade para testar e buscar oportunidades. 

Por outro, precisa construir e manter sua reputação atentamente e criar uma cartela de clientes do zero em um ambiente muito competitivo. Para tanto, é preciso ser organizado e bom gestor de si mesmo e de suas finanças, além de pensar em seu próprio marketing (mais sobre isso adiante).

Em termos de pagamento, os honorários costumam ser os mesmos. O que muda é que, no caso do autônomo, conseguir fechar um negócio depende apenas dele (e do cliente, claro!). Para pessoas de perfil independente, esse desafio faz brilhar os olhos.

3 ideias para aprimorar a prospecção de clientes

A prospecção de clientes ocorre tanto offline, através de eventos e indicações, quanto online, através de anúncios de imóveis em portais imobiliários, sites próprios e anúncios em mecanismos de busca, entre outros.

O fim do processo é o mesmo: captar contatos de leads, os potenciais clientes. Abaixo trazemos 3 ideias, mas saiba que há muito espaço para a criatividade e para alavancar seus pontos fortes de comunicação e networking.

Pesquise e foque na(s) área(s) em que quer trabalhar

Para um profissional autônomo, tentar tudo ao mesmo tempo é uma tentação. Mas lembre-se: seus recursos (de tempo, dinheiro e energia) são finitos. Faz mais sentido escolher um foco, dominar suas especificidades e fazer sua prospecção dentro dele.

Para fazer sua prospecção de clientes da forma mais prática e eficiente possível, é bom dar um passo atrás e entender onde você quer/pode focar. Há alguma região, tipo de imóvel ou de cliente que você prefira? Com qual modalidade imobiliária você se sente mais à vontade? Reflita e trace seu plano.

Aprenda a lidar (bem) com pessoas

Em nosso artigo completo sobre a carreira de corretor de imóveis, o blog da Loft conversou com Elbio Fernandez Mera, vice-presidente de Intermediação Imobiliária e Marketing do Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo).

Com vasta trajetória no ramo – que inclui a fundação de sua imobiliária Fernandez Mera, uma das mais importantes do país –, ele mencionou habilidades interpessoais essenciais para qualquer corretor de imóveis:

  • Paciência (especialmente na hora de captar novos imóveis)
  • Jogo de cintura (para enfrentar situações diversas e adversas)
  • Conhecimento (sobre a região, o imóvel, o crédito imobiliário e tudo que for útil em uma conversa com o cliente)
  • Poder de síntese (saiba que perguntas fazer para entender o perfil e as necessidades do cliente)
  • Generosidade (ajude sempre que puder, todo cliente que puder)
  • Persistência (a regra de Fernandez Mera para não se tornar inconveniente? Se você é útil, você não é chato)

Pratique suas respostas com scripts

Conforme você angariar experiência no meio, vai notar que há conversas que se repetem. Por isso, muitos corretores de imóveis optam por scripts para ter as principais informações na ponta da língua. Mas sem ser robótico: não é preciso, nem recomendado, segui-los à risca. 

Especialmente para quem é novo no negócio, no entanto, scripts oferecem um pouco mais de confiança. Confira neste post os 4 pontos mais importantes para criar seus próprios scripts e 3 perguntas frequentes para as quais você já pode se preparar!

O dia a dia do corretor de imóveis autônomo

Cris Rodrigues atua como corretora desde 2014 e, como autônoma, há dois anos. Formada em Direito, descobriu a profissão pouco depois de terminar a faculdade e iniciou sua carreira com lançamentos da BR Imóveis e da Lopes. 

Aliando os problemas da crise econômica (que desacelerou novos empreendimentos intensamente entre 2015 e 2016) à vontade de ter uma agenda que não fosse de “domingo a domingo”, decidiu trabalhar por conta própria. 

Dinâmica, preferiu ampliar bastante seu leque. Hoje trabalha com compra, venda e locação em São Paulo e na Grande São Paulo. “Trabalho com tudo, desde um imóvel na Cohab até um apartamento de altíssimo padrão. Agora, por exemplo, estou em uma negociação de uma área de R$ 20 milhões.”

Além de ter clientes prévios na carteira, investiu em anúncios de imóveis em portais imobiliários, onde capta parte de seus leads – a outra vem de indicações – e buscou parcerias com imobiliárias, outros corretores e com a Loft. (Para se tornar parceiro, aliás, basta preencher um cadastro!)

corretor-de-imoveis-autonomo-cris-rodrigues-loft
A corretora Cris Rodrigues trabalha de forma autônoma desde 2016 / Foto: acervo pessoal

A rotina é variada. No dia da conversa, Cris estava em seu escritório fazendo documentações e ligações. Mesmo sob forte chuva, sairia para uma visita com um cliente em breve. Pelos seus cálculos, ela gasta mais de R$ 1.000 por mês em gasolina e foi da Vila Leopoldina ao extremo da Zona Leste em três horas para visitas.

Ela aconselha ter paciência, persistência e muita organização. “Você faz tudo, desde o primeiro atendimento até a entrega da chave e o pós-venda”, resume. Na prática, diz Cris, o que muda mais é a comissão. “Com uma imobiliária, vocé ganha metade. Sozinha, ganha 100%. E tenho mais flexibilidade para negociá-la com o proprietário.”

É preciso saber também que não existe um tipo único de cliente. Por exemplo: primeiro imóvel que ela vendeu como autônoma, que pertencia a um amigo, foi comercializado em dois dias. “Fui lá, tirei fotos, anunciei e vendi”, resume. 
Há outros que levam um ano ou uma semana, o que exige atenção constante e follow-up. “Não dá para esquecer do cliente. Lembre-se de ligar, mandar e-mail e manter-se antenado. Tente de novo.”

Acima, descubra as vantagens que a Loft oferece a corretores tanto na venda quanto na compra de imóveis

Quanto ganha um corretor de imóveis?

De acordo com a mais recente Pesquisa Salarial da Catho Online, a resposta para quanto ganha um corretor de imóveis é, em média, R$ 3.251,63. No caso de um profissional autônomo, esse valor não significa muita coisa – afinal, não tem nenhuma empresa que precisa te pagar no quinto dia de cada mês. 

Por ser esta uma profissão de remuneração variável, que muda de acordo com a corretagem recebida e número de negócios fechados, é preciso levar em conta outras informações. As taxas de corretagem (para compras, vendas, aluguéis ou administração de prédios) hoje são livres e giram entre 5% e 12%

É possível ter uma ideia de cada porcentual nas tabelas referenciais de honorários divulgadas por cada Creci. Aqui você encontra os valores do Creci-SP.Esse é um momento propício para lembrar que, para corretores que vendem imóveis de seu portfólio, a Loft garante entre 6% e 7% de comissão. Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso a apartamentos de alto padrão em São Paulo!

O que é marketing para corretor de imóveis?

O que é marketing, um termo tão popular em qualquer negócio? Como a própria palavra em inglês entrega, trata-se de mercantilizar algo. Com o tempo, tornou-se sinônimo de um campo amplo de estratégias para aumentar as vendas e atender melhor os clientes

No caso de um corretor de imóveis autônomos, é possível utilizar o marketing para divulgar seus serviços. Você mesmo(a) é sua melhor chance de conseguir novas oportunidades de trabalho.

Crie seu site

Bens e serviços são crescentemente adquiridos online. Por isso, é importante ter uma presença online consistente. Um site simples e bem-feito (feito em plataformas como Wix, por exemplo) com seus contatos atualizados, história de carreira e depoimentos de sucesso, pode ir longe.

Aproveite o espaço para também divulgar os imóveis disponíveis e agilizar a captação de clientes. Aliás, um corretor parceiro da Loft não precisa de autorização para divulgar os apartamentos de alto padrão de seu portfólio. Depois de um cadastro rápido e grátis, você já estará apto para tanto!

Crie bons materiais de divulgação

O site gratuito Canva permite que você crie materiais online para seu site e redes sociais e também para distribuição offline, como panfletos e cartazes. Não subestime o poder de uma imagem esteticamente agradável – e sem erros de digitação.

Aprenda a anunciar imóveis

A prática faz a perfeição e há muito espaço para praticar quando se trata escrever bons anúncios. O melhor a se fazer aqui é compilar boas referências e entender o que as torna tão boas. 

Em seguida, realmente invista tempo para criar o melhor anúncio possível. Isso inclui um tour virtual com cerca de 20 fotos de qualidade e bem iluminadas, dispostas na ordem de entrada na casa, e o texto descritivo.

Esse outro artigo da Loft, que traz 7 orientações para aumentar seu poder de persuasão e vendas, explica o que torna uma descrição emocionante: quando ela não só é descritiva como capaz de criar vínculos emocionais. Conseguir imaginar-se dentro do espaço, já imerso em sua rotina, é um bom começo.

Tudo depende de sua criatividade e de seus pontos fortes como vendedor. Por exemplo: na Refúgios Urbanos, uma imobiliária parceira da Loft composta por amantes da arquitetura, as histórias de edifícios e arquitetos são alavancadas sempre que possível para demonstrar aos visitantes que aquele é um pedaço da história de São Paulo.

Teste estratégias de marketing digital

Para quem quer dar um passo além na hora de trabalhar com marketing para corretor de imóveis, vale a pena considerar estratégias de marketing digital, um mercado que já movimenta US$ 100 bilhões de dólares por ano. Nesse artigo, o blog da Loft explora três possibilidades: 

  • Marketing de conteúdo 
  • E-mail marketing
  • Redes sociais

Como ser corretor de imóveis autônomo

Para quem se pergunta como ser corretor de imóveis autônomo, saiba que o caminho é exatamente o mesmo que aquele do corretor de imobiliária. Por ser esta uma profissão constitucionalmente regulamentada no Brasil, é preciso se filiar ao Creci(Conselho Regional de Corretores de Imóveis) em seu estado de atuação. 

Como tirar o Creci?

Passo 1: torne-se Técnico em Transação imobiliária

E como tirar o Creci, a parte mais importante dessa carreira? Primeiro, é preciso estudar para se tornar técnico em transação imobiliária, que é o nome desse profissional segundo a lei brasileira.

É possível obter essa formação técnica com os seguintes tipos de curso:

  • Técnico em Transação Imobiliária (curso técnico feito em cerca de 1 ano) 
  • Tecnólogo em Transação Imobiliária (curso superior feito em cerca de 2 anos)
  • Bacharel em Ciências Imobiliárias (curso de graduação feito em cerca de 4 anos)

Quais são os cursos de corretor de imóveis disponíveis? 

Para formar-se como Técnico em Transação Imobiliária, considere a Escola Brasileira de Ensino a Distância (Ebra), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Instituto Brasileiro de Educação Profissional (Ibrep).

Para se tornar Tecnólogo em Gestão Imobiliária, visite a Universidade Estácio de Sá (Unesa). Por fim, para saber mais sobre o bacharelado em Ciências Imobiliárias, dirija-se à Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Passo 2: seja estagiário de negócios imobiliários

Muitos cursos exigirão estágio obrigatório e é preciso requisitá-lo ao Creci de seu estado. No Creci-SP, inscrição e pagamento de taxas podem ser feito online mas devem ser protocolados pessoalmente, na Delegacia Regional/Seccional de sua preferência.

Passo 3: inscreva-se no Creci

Com tudo pronto, você pode se inscrever no Creci de seu estado de atuação e se tornar um corretor de imóveis legalizado. O processo exige seus documentos pessoais e o número de filiado chega entre 30 e 60 dias depois. É preciso ter o seguinte:

  • RG
  • CPF
  • Fotos em 3×4
  • Título de eleitor e comprovante da última eleição
  • Certificado de reservista (para homens)
  • Comprovante de residência
  • Diploma de técnico em transação imobiliária
  • Comprovante de conclusão do ensino médio
  • Comprovante de pagamento das taxas do Creci

Torne-se um corretor parceiro da Loft!

Para a Loft – que adquire, reforma e vende imóveis de alto padrão –, corretores de imóveis (autônomos ou ligados a imobiliárias) são essenciais para o negócio e todos são bem-vindos. 

Após um breve cadastro, corretor/corretora de imóveis entram no mailing e passam a receber novidades (como novos apartamentos, open houses, palestras e promoções) semanalmente. 

Além disso, estão automaticamente aptos a divulgar e apresentar os apartamentos do portfólio aos seus clientes. Quando venderem um deles, a Loft paga entre 6% e 7% de comissão. 

Vale ressaltar que a Loft também compra apartamentos residenciais em suas áreas de atuação (e paga à vista!). Confira nossos pré-requisitos e áreas de atuação neste link.