Veja 7 custos que você tem deixando seu imóvel parado

imovel-parado
Tempo de leitura: 6 minutos

Deixar seu imóvel parado, sem uso, pode soar apenas como uma oportunidade perdida de ganhar dinheiro. Mas quem é proprietário sabe: imóvel vazio é sinônimo também de gastos adicionais. Neste artigo, vamos detalhar de que maneiras você perde dinheiro ao deixar seu apartamento ou casa parados – e compartilhar algumas dicas para colocar seu imóvel em circulação e dar fim aos dias de prejuízo. 

Neste artigo, você encontrará: 

  • Por que não compensa deixar o imóvel parado?
  • Quais os gastos que um imóvel parado podem gerar ao proprietário?
  • Onde eu poderia investir esses valores? 
  • Soluções para não deixar o imóvel parado
  • Conte com o apoio da Loft na hora de vender 

Por que não compensa deixar o imóvel parado?

Ter um imóvel parado faz com que o proprietário deixe de ganhar renda a partir daquele bem. No caso dos aluguéis inquilinos pagariam um valor mensal para morar na propriedade e ainda arcariam com alguns custos obrigatórios. Caso você venda a propriedade, ainda pode gerar mais dinheiro com os recursos obtidos: fazendo investimentos certeiros, abrindo um negócio ou ampliando sua empresa, por exemplo.  

Em todos os casos, quem tem um imóvel parado precisar pensar em dar uma destinação a ele. Se sua intenção for vender, saiba que, mesmo com a pandemia, o momento é bom para compradores fazerem um financiamento imobiliário graças à baixa taxa de juros. Mostramos neste outro artigo do blog da Loft que as perspectivas são animadoras para o setor imobiliário, com altas consistentes no número de financiamentos. 

Para se ter uma noção, dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (ABECIP) mostram que, entre janeiro e agosto de 2020, foram financiadas mais de 237 mil unidades imobiliárias entre construção e aquisição, 31% a mais que as 180,5 mil do mesmo período do ano passado. Por isso, a hora é boa para aproveitar o momento positivo do mercado e dar fim aos dias de abandono do seu imóvel. 

Quais os gastos que um imóvel parado podem gerar ao proprietário?

Deixar o imóvel parado pesa no bolso. Desocupado, um apartamento ou casa demanda recursos do proprietário que poderiam ser repassadas a quem estaria morando na unidade de aluguel. Outras vezes, o fato de não ter ninguém vivendo no local é justamente o fator desencadeador dos gastos adicionais. A seguir, detalhamos algumas dessas despesas: 

Manutenção

Não pense que fechar a porta do apartamento o protege das pequenas ameaças que vem de dentro. Imagine o que acontece se você não remediar uma infestação de cupins ou de baratas a tempo? Em um imóvel vazio, os cuidados diários que afastam essas pragas simplesmente não ocorrem. Por isso, é preciso separar dinheiro para combatê-los imediatamente, contratando empresas de dedetização, por exemplo.

Investir na limpeza do apartamento também é necessário como fator de prevenção, mesmo que ninguém esteja morando no imóvel. Nesse caso, a necessidade de manutenção substitui o desejo por conforto dentro de casa. Descuidar da manutenção é um atalho para ter problemas na hora em que você precisar colocar o imóvel de volta no mercado.

Condomínio

Se seu imóvel fica em um prédio, já sabe que terá esse custo. Ele pode ser maior ou menor, dependendo do número de unidades do prédio e da infraestrutura presente nele. A taxa de condomínio é usada para manter equipamentos como piscinas e playgrounds, mas também para pagar funcionários. 

Se o imóvel está vazio, ninguém está usufruindo dos serviços prestados no prédio, o que torna essa despesa ainda mais dolorosa no bolso do proprietário. 

IPTU 

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) deve ser pago por proprietários de imóveis em área urbana, seja ele residencial ou comercial. A cobrança do imposto é feita pelas prefeituras e o valor devido é fixado conforme a avaliação do imóvel. Atraso nos pagamentos do imposto leva à multa. 

Muitas vezes, proprietários repassam os valores de IPTU a locatários de seus imóveis, uma vez constando esse arranjo no contrato de locação. Importante lembrar que esse imposto é cobrado por unidade. Então, se você tem mais de um imóvel parado, vai ter de pagar IPTU por cada um deles. 

Segurança 

É comum que imóveis vazios também demandem mais cuidados em termos de segurança, principalmente casas ou unidades situadas em áreas mais desertas. Afinal, uma casa abandonada pode ser um convite para pessoas com más intenções. A instalação de câmeras pela propriedade ou a contratação de caseiros está na lista das possíveis despesas com segurança. 

Contas

Muitas vezes, contas de água e gás vêm acopladas às despesas do condomínio. Não são pagas de forma individualizada por cada morador, e sim em um esquema de rateio. Neste caso, você vai pagar pelos litros de água que você não consumiu. Caso a conta seja individualizada no seu prédio, você pode solicitar às concessionárias o corte dos serviços. 

Obras de emergência 

Em um apartamento vazio, uma infiltração no banheiro, por exemplo, pode demorar muito mais para ser detectada. E quando for notada, já pode ter causado uma pequena catástrofe. Assim como podem acontecer danos às janelas por conta de uma tempestade, por exemplo. A desocupação de uma unidade aumenta a chance de gastos extraordinários  com problemas que poderiam ser prevenidos ou resolvidos rapidamente. 

Obras no prédio

Muitas vezes, os prédios sofrem reformas, às vezes urgentes e às vezes planejadas. Pode ser a pintura dos andares, troca de revestimento externo, instalação de uma academia de ginástica na área comum e muitos outros. 

O dinheiro para arcar com essas despesas pode vir de economias prévias feitas pela administração do condomínio, ou então de taxas adicionais cobradas dos moradores. E aí, mais uma vezes, o proprietário de um apartamento vazio vai ter de arcar com a despesa. 

Onde eu poderia investir esses valores?

Em vez de gastar dinheiro com um apartamento vazio, você poderia usar esses recursos para outras necessidades. Pagar um curso, uma mensalidade da escola mais alta ou mesmo aplicar o dinheiro no mercado financeiro, por exemplo. 

Segundo um levantamento da Lello Condomínios, publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o morador do bairro dos Jardins, em São Paulo, pagava em 2019 uma média de R$ R$ 1.718,07 por mês em condomínio. Já o de Vila Mariana, uma média de R$ 1.555,65 mensais. 

Se o proprietário pagar um valor de condomínio médio de Vila Mariana, por exemplo, durante um ano de imóvel parado, gastará R$ 18.667. Em uma busca rápida na plataforma de turismo Dreamlines, é possível observar que esse valor supera o custo de uma viagem de 14 dias em um cruzeiro no Mar Mediterrâneo para duas pessoas – em cabine com varanda.

Ou então, investindo esse mesmo valor mensal de condomínio no Tesouro Prefixado, ao final de dois anos, você teria R$ 39.274. Parece muito? Então vale a pena pensar bem antes de continuar com o imóvel parado: saiba que estará perdendo recursos que podem fazer a diferença para você e sua família. 

Soluções para não deixar o imóvel parado

Vender pode ser uma solução para não deixar seu imóvel parado, mas também é um passo que requer planejamento e cuidado. Por isso, preparamos algumas dicas para tornar a experiência mais vantajosa para você:

Reformar para vender melhor 

“Quando um imóvel não está em boas condições, as suas chances de venda são muito menores. A reforma é uma opção de melhoria na apresentação e também na valorização de um imóvel”, destaca Marcus Vinicius dos Santos, do time de canais da Loft. Além de atrair a atenção de potenciais compradores, uma reforma às vezes é essencial quando o apartamento tem um problema estrutural que precisa ser corrigido. 

É importante estar prestar atenção nas tendências do mercado antes de empreender uma reforma. Desde o início da pandemia, com o estímulo ao home office, os escritórios estão em alta. Outra dica é apostar em espaços amplos que facilitem a convivência em família, já que agora todos passam mais tempo em casa.

Aposte em canais digitais

Anunciar na internet, em sites e aplicativos, se tornou mais importante do que já era antes. É só imaginar o movimento de pessoas em uma imobiliária em tempos de distanciamento social. Assim, procure sempre anunciar em plataformas digitais.

Lembre-se de caprichar no seu anúncio: listar benefícios, ser sincero, fazer uma descrição completa do seu imóvel e, principalmente, providenciar boas fotos. São as imagens de qualidade que vão atrair interessados em um ambiente digital. Fotos borradas ou contra a luz deixam de despertar o interesse de potenciais compradores. 

Pesquise o preço na sua região e seja flexível na medida certa

Antes de anunciar, faça uma avaliação do seu imóvel. Procure saber por quanto foram vendidas unidades de dimensões e estados de conservação parecidos com o da sua casa nas redondezas ou no condomínio. Se você cobra um preço muito baixo, pode ser que a venda seja rápida, mas você perde dinheiro. Caso seja alto demais, seu imóvel pode ficar “encalhado” por assustar os compradores, e isso também é ruim.

No fim das contas, permita certa dose de flexibilidade nas suas negociações, de acordo com suas necessidades e planos. Dizer não a uma proposta que “quase chegou lá” pode se revelar uma decisão errada no futuro. 

Conte com apoio da Loft na hora de vender

Ter tranquilidade na hora de vender seu apartamento é o sonho de muita gente. Esse processo é repleto de burocracia e muitas vezes também de expectativas frustradas. Por isso, a Loft te ajuda a vender seu apartamento, anunciando o imóvel e disponibilizando uma assessoria imobiliária completa para você. Nosso site tem mais de 1,5 milhão de visitantes mensais e mais de 30 mil corretores parceiros. 

Tudo começa ao cadastrar seu imóvel online. É preciso fornecer informações básicas, como andar, localização, dimensões e número de cômodos. Depois disso, você vai receber um email de confirmação e deverá informar mais detalhes sobre o imóvel, além de alguns dados pessoais. 

A Loft vai analisar essa informações e sugerir uma faixa de preço com base em seu algoritmo de precificação. Em seguida, você cria seu anúncio, selecionando o valor preferido e informando sobre sua disponibilidade para visitas. É aqui que você inclui fotos – a Loft também oferece a visita de um fotógrafo profissional

Com tudo pronto, você pode acessar regularmente nossa área exclusiva para proprietários e visualizar uma série de informações sobre seu imóvel, como o número de visitas, de propostas feitas e ainda compará-lo com outros imóveis.

Se seu imóvel precisar de uma reforma, você também pode contar com o home up da Loft: especialistas vão conduzir a intervenção ideal para impulsionar a sua venda.

Conheça mais vantagens de vender seu imóvel com a Loft