A decoração sustentável é a aposta certeira dos novos tempos

decoracao-sustentavel.jpg
Tempo de leitura: 5 minutos

Entenda os preceitos da decoração sustentável e confira 8 dicas para aplicá-la na sua casa!

Palavras como “ecologicamente correto” e “sustentabilidade” estão em alta, e não é à toa. Conforme o mundo caminha para a nova realidade das mudanças climáticas, a questão do custo, em termos de emissão de gases de efeito estufa e uso de recursos naturais, está cada vez mais presente em todos os campos.

Quando se trata de decoração, não é diferente. É aí que entra a decoração sustentável, que hoje vai muito além do material do qual é feita sua luminária para abarcar toda a estrutura de um imóvel.

O que é decoração sustentável?

A decoração sustentável não se resume a reaproveitar materiais e criar novos objetos com caixotes, pallets ou (ironicamente) garrafas PET. Trata-se, sobretudo, de ter durabilidade do décor como objetivo principal

“O adjetivo ‘durável’ se refere à quantidade de anos que cada revestimento, luminária, móveis especificados pelo designer de interiores serão utilizados pelo usuário inicial e muitos outros antes de serem descartados no meio ambiente”, explica Marisa Murta, arquiteta e designer de interiores especializada em projetos sustentáveis.

A sustentabilidade de um projeto se baseia em três pilares: pessoas, planeta e lucro. “Um projeto sustentável deve ser resultado de escolhas de técnicas e materiais que criem um cenário socialmente equitável, ambientalmente suportável e financeiramente viável”, completa ela.

Ser ambientalmente suportável é onde fica a maior parte da reflexão estética da decoração sustentável, visto que há dois grandes motivos para trocar as peças:

  1. Houve um desgaste natural ao longo dos anos
  2. O morador acha as peças feias e/ou erradas

“O designer de projetos sustentáveis foge dos motivos e cria composições atemporais. Essa atitude colabora para que esses materiais sejam utilizados durante toda a sua vida útil“, fala Marisa. E você também pode adotar essa mentalidade!

Leia também: Contratar um decorador ou montar você mesmo a nova casa?

Exemplo de decoração sustentável

Para reformar uma cozinha com revestimentos que datavam dos anos 1970, Marisa manteve os azulejos antigos nas paredes (para não gerar resíduos) e aplicou massa e tinta acrílica por cima deles. Os azulejos novos foram pontualmente aplicados perto das janelas e das portas.

Os armários também foram quase todos reaproveitados e ganharam novas portas. Quais foram as peças 100% novas? Apenas as do piso e o tampo de granito preto, que substituiu a pedra desgastada.

“O resultado dessas ações proporcionou uma economia de cerca de R$ 40 mil“, pontua Marisa.

Cozinha reformada pelo escritório de Marisa Murta: antes (acima) e depois

Pense de forma sistêmica

Como se vê, o que é decoração sustentável não é algo tão simples de responder. Utilizar um material novíssimo, totalmente ecologicamente correto, mas que seja mais caro que outras opções sustentáveis e que só meia dúzia de pessoas tem o know-how no país, não responde à essa equação.

Pior ainda se ele for importado, adicionando muitas toneladas de gases de efeito estufa à sua pegada de carbono!

Marisa resume que, para realmente criar um projeto sustentável, é preciso pensar de maneira sistêmica. 

Uma nova maneira de decorar

A profissional ainda se lembra da dificuldade de suscitar o assunto entre seus professores, nos anos 1980. Hoje vê o interesse pela decoração sustentável crescer aceleradamente, especialmente entre os mais novos, que já trazem a preocupação como um dos pontos principais.

“A questão da economia de água, energia e a produção e destinação de resíduos gerados na obra são as maiores preocupações”, fala ela. “E mais do que tudo isso: que o projeto seja bonito.”

Nem todo mundo, claro, tem espaço ou recursos financeiros para instalar paineis de luz solar em casa. Por isso, Marisa avalia o perfil dos moradores, a infraestrutura do imóvel em questão e os valores disponíveis para fazer um estudo dos sistemas de sustentabilidades possíveis.

Vale a pena esclarecer que há 3 sistemas dentro deste universo de decoração sustentável:

  • O sistema intuitivo, que inclui soluções simples como promover a ventilação cruzada natural
  • O sistema passivo, que vê a instalação de objetos como válvulas e lâmpadas que economizam recursos naturais
  • O sistema ativo, em que é possível usar materiais, tecnologias técnicas que se adaptem ao ambiente de forma dinâmica

Não se frustre se não puder fazer tanto em casa quanto gostaria. Fazer essa escolha de decoração sustentável em casa é benéfico em qualquer um desses graus, e a criatividade pode ajudá-lo a encontrar novas formas de ter um impacto positivo.

“O conhecimento em design sustentável oferece muitas soluções para um mesmo problema”, lembra Marisa.

8 ideas de decoração sustentável para aplicar em casa

1.Opte por produtos locais

A lógica por trás dessa dica é simples: quanto mais longe está seu produto, maior será a distância percorrida para chegar até você, o que também aumenta seu uso de recursos e sua pegada de carbono.

Na hora de fazer a escolha dos móveis e outros objetos de decoração sustentável, pesquise produtos que já estão na sua cidade e, se possível, tenham sido fabricados nela.

2. Prefira materiais naturais

Materiais naturais (como algodão, linho, cânhamo, coco, juta, bambu, sisal e madeira) são mais sustentáveis do que seus colegas sintéticos. Produtos que não tenham origem animal também têm menor pegada de carbono. Se for orgânico, melhor ainda.

3.Compre em feiras de rua, brechós, antiquários e por aí vai

Objetos que já existem são, por definição, mais sustentáveis do que objetos novos, frequentemente fabricados em excesso em fábricas distantes. Há muita coisa bonita (e com história!) pelas ruas. Além de serem duradouros e singulares, os objetos usados também podem ser substancialmente mais baratos.

4. Reaproveite o que você tem

Se você tem o estilo faça-você-mesmo, não faltam ideias e tutoriais na internet para reaproveitar objetos que já estão na sua casa e torná-los peças extremamente originais, com pouco ou nenhum investimento. Sites como o Pinterest, por exemplo, estão cheios desses tesouros!

5.Saiba o que tem nas suas tintas

Busque opções de tintas que não são tóxicas, tenham base de água ou, pelo menos, com baixo ou nenhum índice de compostos orgânicos voláteis. Também questione se os pigmentos são à base de metais pesados.

Acima, arquitetos discutem a importância de pensar em decoração sustentável desde o começo do projeto


6.Use seu espaço para ajudar a natureza

Ter uma área verde e/ou diversas plantas no seu apartamento não só é esteticamente agradável, como também pode ajudar a flora e a fauna vizinhas – mesmo que você viva em uma grande metrópole! Uma pequena árvore ou um comedouro na varanda podem ajudar os pássaros, flores podem ajudar as abelhas e por aí vai. 

7.Invista em uma casa livre de plástico

Sempre privilegie objetos que não sejam feitos de plástico. Além de ser uma opção mais sustentável, o vidro é mais bonito!

8.Descarte com consciência

Não é só porque é lixo para você que não tem utilidade, certo? Antes de jogar tudo em um mesmo saco, pesquise se aqueles itens não são úteis para alguém, como catadores de material reciclável ou instituições filantrópicas que aceitam doações. Para fazer o descarte final, separe o reciclável e leve-o para os pontos de coleta adequados. O que não puder ser reciclado deve ir para caçambas credenciadas, que levarão o lixo para os locais adequados.

Conclusão

A decoração sustentável pode ter sido tendência no passado, mas agora está se tornando a regra. Em breve, não levá-la em conta será a exceção, não importa se o decorador é você ou um profissional (para saber como escolher a melhor opção, clique aqui!).

Pensar de forma sistêmica nas consequências das suas compras e descartes, buscando constantemente a opção menos pesada para o meio ambiente em diversos fronts, é a melhor maneira de criar um décor bonito, sustentável – e mais barato.