Como o empréstimo com garantia de imóvel pode organizar as finanças do seu negócio

emprestimo-garantia-de-imovel-negocios
Tempo de leitura: 5 minutos

O momento atual, com a crise provocada pela pandemia de Covid-19, é de incerteza para empresários e comerciantes. Muitos deles tentam se adaptar à nova realidade, e os investimentos necessários para reformular seus produtos ou serviços podem vir de empréstimos. Há também empresas que precisam de liquidez para manter o capital de giro durante o auge da crise, mas têm perspectiva de recuperação a curto prazo.

Para esses empresários, o empréstimo com garantia de imóvel tem se destacado como solução vantajosa para capitalizar empresas. Mas antes de sair em busca de crédito, é preciso planejar e refletir qual será o papel desses recursos para o negócio. 

Neste artigo você vai encontrar:

  • Quando um empréstimo pode ser a solução para o negócio?
  • Quando não é o momento ideal para solicitar um empréstimo?
  • Investimento fixo ou capital de giro: onde usar o crédito?
  • Que condições o empréstimo com garantia de imóvel oferece?
  • Quais as práticas fundamentais ao optar por um empréstimo?
  • Como obter o empréstimo com garantia de imóvel para um negócio?

Quando um empréstimo pode ser a solução para o negócio?

Especialistas normalmente indicam aos empresários cautela e planejamento antes de recorrer a empréstimos. Por isso, a estruturação de um plano de negócios detalhado é altamente recomendada. 

É preciso mensurar e estimar os impactos do crédito no dia a dia da empresa. Se os recursos possibilitam reorganizar ou ampliar sua produção de modo a aumentar o lucro, esse caminho pode ser vantajoso. 

Há empresas, por exemplo, que precisaram investir na digitalização de seus serviços para sobreviver e crescer em meio à pandemia. 

O plano de negócios deve conter valores discriminados de investimentos fixos e capital de giro. A partir daí, fica mais fácil saber de que forma o dinheiro emprestado faria a diferença. 

Com o planejamento em mãos, é recomendável simular as parcelas do empréstimo pretendido  levando em conta o Custo Efetivo Total (CET), que inclui seguros e índices de correção para além das taxas de juros anunciadas 

Se essa simulação fez sentido dentro da realidade da sua empresa, um empréstimo pode ser indicado para você. 

Quando não é o momento ideal para solicitar um empréstimo?

De onde virá o dinheiro para pagar o empréstimo? Se você não tem essa resposta, provavelmente não é hora de contratar um. Se há meses de faturamento mais baixo, é necessário planejar uma reserva de emergência para a empresa garantir dinheiro para despesas correntes.

Outra avaliação essencial é entender se, em vez de contrair um empréstimo, seu negócio consegue se autofinanciar. Para isso, é preciso aumentar a receita ou reduzir gastos fazendo alguns ajustes na cadeia produtiva. 

Uma opção para sanear as finanças da empresa é negociar prazos de pagamento menores com os clientes, renegociar contratos com fornecedores ou acordar pagamentos tardios a eles. Já quem precisa de dinheiro para expandir um negócio ou adaptar a cadeia produtiva pode reinvestir o lucro na própria empresa em vez de buscar crédito. 

Se o seu planejamento revelar um problema estrutural nos fluxos financeiros da sua empresa, é preciso corrigi-lo antes de tudo. Tenha em mente que crédito específico para capital de giro tem taxas mais caras e condições piores. 

Considere ainda que os bancos analisam de forma criteriosa o perfil do tomador de crédito. Avaliam o capital da empresa, o histórico de bom pagamentos, a capacidade de honrar a dívida, a conjuntura econômica do momento e as garantias oferecidas (bens) em troca de crédito. 

Nem sempre esse caminho é fácil. Desde o início da pandemia causada pelo coronavírus, uma pesquisa do Sebrae e da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que micro e pequenas empresas brasileiras tiveram bastante dificuldade de obter crédito: 51,4% delas não conseguiram o empréstimo solicitado. 

Investimento fixo ou capital de giro: onde usar o crédito?

Muitas das linhas de créditos a empreendedores de pequeno a médio porte se dividem entre esses dois tipos de destinação de recursos. Por isso, é tão importante entender profundamente as necessidades da empresa antes de buscar liquidez. 

As linhas de crédito para capital de giro (despesas da empresa no seu dia a dia) têm maiores taxas e menores prazos, em geral. Já empréstimos voltados aos investimentos fixos, como aquisição de equipamentos e reformas, podem ter até carência de pagamento. As taxas costumam ser menores e os prazos, mais alargados. 

Algumas linhas de crédito são mistas, e atacam tanto o capital de giro quanto investimentos fixos. Baseiam-se na lógica de que certos investimentos demandam aumento do capital de giro. 

Além dessas linhas de crédito pensadas para empresas, existem alternativas de empréstimo que não vinculam a quantia tomada à destinação que ela terá, nem às projeções de faturamento do seu negócio. 

Por isso, se você tem um imóvel e está interessado em contrair um empréstimo para sua empresa, uma boa alternativa pode ser o empréstimo com garantia de imóvel. Também chamada de home equity, essa modalidade pode ser contratada por pessoas físicas ou jurídicas. 

Que condições o empréstimo com garantia de imóvel oferece?

Além de não exigir uma destinação fixa para o dinheiro recebido pelo tomador, o crédito com garantia do imóvel é bem mais vantajoso que outras modalidades de empréstimo pessoal. 

As taxas de juros para esse tipo de operação estão em torno de 11% ao ano. As do cheque especial fecharam abril de 2020 em 120% em média, segundo o Banco Central. 

Para o cartão de crédito parcelado, a taxa média do mês era de 148,8% ao ano. Já os juros do empréstimo pessoal não consignado alcançaram 86,4% ao ano, em valores médios.

Veja mais detalhes sobre o Empréstimo com garantia de imóveis na reportagem acima

No empréstimo com garantia de imóvel, é possível obter até 60% do valor do imóvel em crédito. Se o bem imobiliário ainda tiver parcelas por pagar, a operação também é possível. Os bancos normalmente aceitam fechar negócio se o imóvel tem até 30% do seu saldo devedor a ser quitado. 

“O imóvel de um empresário ou empresária é o principal parceiro na hora de conseguir uma capitalização. Se você tem um negócio pequeno e busca um empréstimo, corre o risco de estourar o cheque especial, ficar com dívidas”, ressalta Marcus Vinicius dos Santos, do time de canais da Loft. “Usando o imóvel, paga em muitos anos e com menos juros”, completa. 

Com o simulador gratuito do Loft Cred, é possível estimar as parcelas envolvidas nesse empréstimo. A assessoria gratuita do Loft Cred ajuda você conseguir as melhores condições do mercado: a partir de 0,85% de juros + IPCA ao mês (aproximadamente 1,2%) ou 10,7% + IPCA ao ano. O prazo de pagamento pode se estender por até 12 anos. 

Quais as práticas fundamentais ao optar por um empréstimo?

Antes de contratar a operação de crédito, o empresário deve seguir algumas recomendações para evitar cair em ciladas. Entre elas: 

  • Solicite seu cadastro positivo. Um histórico de bom pagador facilita a negociação com as instituições financeiras envolvidas na operação.
  • Negocie e compare: encontrar a melhor condição possível demanda tempo e consulta a vários bancos. Simule as parcelas e entenda que elas não podem passar de 30% da sua renda mensal. 
  • Entenda o contexto econômico e as variáveis envolvidas. Reflita se o investimento que você quer realizar na sua empresa, por exemplo, é o que realmente faz sentido no momento. Quais são as necessidades do seu negócio e do seus clientes a médio e longo prazo?
  • Renegocie dívidas. Se você pretende contrair um empréstimo para se livrar de outro anterior, avalie se o credor da primeira operação não aceita reduzir tarifas ou alargar prazos para facilitar o pagamento do débito.   

Como obter o empréstimo com garantia de imóvel para um negócio?

Além da avaliação do seu perfil enquanto tomador, o imóvel que você possui passará por uma avaliação técnica. Ela normalmente é encomendada pelos bancos a empresas de arquitetura ou engenharia. O grande objetivo dessa etapa é aferir o valor do bem usado como garantia. 

Uma série de documentos também são exigidos do candidato ao crédito: 

  • Documentos pessoais, como RG, CPF e certidões (de casamento ou divórcio, para os casados, ou de nascimento, para solteiros)
  • Comprovante de residência
  • Documentos do imóvel, como matrícula e IPTU
  • Documentação de comprovação de renda: contracheques dos últimos 3 a 6 meses, extratos bancários do mesmo período, recibo da última declaração do Imposto de Renda

A assessoria gratuita do Loft Cred se encarrega de toda essa burocracia, tornando o processo de obtenção de crédito fácil e seguro para você. Os especialistas da Loft negociam as melhores condições entre várias instituições financeiras. O processo inteiro, desde o envio dos documentos até a assinatura e registro, leva em média 25 dias. 

Saiba mais sobre o crédito com garantia do imóvel clicando aqui.