Hackdays 21Q2

Hackdays na Loft: um sprint de tecnologia e criatividade

4 MINUTOS DE LEITURA

Entenda o que é um hack day e os benefícios que essas maratonas criativas trazem para startups como a Loft!

Entre 26 e 28 de maio de 2021, aconteceu o terceiro Hack Days da Loft, um evento para lofters de todas as áreas saírem da rotina, deixarem a criatividade fluir e mergulharem na soluções de problemas com novos produtos em uma maratona online. 

Como funciona um hack day?

Um hack day é uma corrida criativa (amigável!) para encontrar a melhor solução para uma determinada questão. Os times são formados de acordo com ideias apresentadas logo no começo do evento e são compostos por pessoas de várias áreas, que então se dedicam a conversar, pesquisar, inovar, prototipar, testar e apresentar essas soluções para a banca julgadora.

No último Hack Days da Loft, por exemplo, o objetivo foi criar soluções alinhadas com os critérios de experiência da proposta de valor da Loft em duas categorias:

  • Client facing: que impactem o cliente final, ou seja, compradores, vendedores, corretores, etc.
  • Cliente interno: que impactem ou aprimorem a produtividade de um determinado time ou área da Loft (e, consequentemente, a experiência do cliente final) 

Quer saber quais foram os destaques do Hack Days em maio de 2021? Clique aqui!

Aliás, qual a diferença entre hack day e hackathon?

O hack day é um primo próximo, mas um pouquinho diferente do hackathon. Esse outro tipo de evento reúne participantes em maratonas (que são geralmente de programação) para solucionar um problema bem específico e também costumam incluir gente de fora da empresa, além de ofertar prêmios cobiçados e servir como ferramenta de recrutamento.

Qual o propósito de hack days para uma empresa? 

Em tempos normais, tanto hack days quanto hackathons acontecem presencialmente e se estendem madrugada adentro. Devido à pandemia de COVID-19, esse foi o segundo Hack Day online da Loft. Para manter o espírito dinâmico inerente a um hack day, os participantes usam ferramentas como Dischord e Zoom e têm acesso à palestras ao vivo e mentores – e ficam acordados até altas horas também!

Como os participantes ficam imersos na criação desses produtos por três dias, afastados dos seus papeis rotineiros, e há toda essa infraestrutura organizacional, o Hack Days da Loft exige investimento de tempo e recursos financeiros. E aí surge uma pergunta: por que isso faz sentido? 

Quem responde é David Robert, diretor de engenharia da Loft: “O Hack Days tem uma outra maneira de entregar valor. A gente desmancha os times-padrão, se integra com outras pessoas da empresa. E as pessoas têm poder de tomar decisões e executar no curto prazo: você usa o feeling e vai com tudo”.

E como o evento é aberto à empresa toda, as pessoas realmente se misturam. Enquanto David participou da banca julgadora em 2021, por exemplo, o vice-presidente de engenharia integrou um dos times como desenvolvedor. “O benefício mais claro e evidente é criar esse espírito de corpo com outros”, continua o diretor.

A experimentação – rápida, imprevista, imprevisível – também traz valor. “Mesmo quando ela falha, é um aprendizado e dá para aproveitar boa parte daquilo”, fala ele. Uma das ideias que surgiu num Hack Day passado foi nada menos do que a interface de anúncio dos apartamentos da Loft, aquela que os compradores usam para escolher seus novos imóveis. 

Novos aprendizados e parcerias

Visto que as ideias podem ir mudando conforme os times avançam, David lembra que a dinâmica acelerada e experimental do Hack Days é uma das suas partes mais interessantes. “Começamos com 29 times e terminamos com 21, porque eles foram convergindo e se mesclando”, diz.

Essa convivência traz novos aprendizados, firma novas parcerias e amplia horizontes. “Uma pessoa trabalha em um dado time vai ao Hack Day e cria um produto financeiro, algo sobre o qual ela não conhecia nada e agora conhece tanto o produto quanto as pessoas e o mindset”, exemplifica. 

Às vezes a identificação com uma nova área ou mesmo o elo com um colega se fortalece tanto que se desdobra em mudança profissional. “Às vezes as pessoas trocam de área, como alguém de operação ir para produto ou alguém de produto ir para engenharia. Essa troca ajuda a levar conhecimento e oxigena outras áreas.”
O evento intenso termina às sextas-feiras para que os participantes possam descansar no fim de semana. E eles terminam animados. “Temos um NPS bem alto e o que mais nos falam é: ‘Hoje o Hack Days é semestral, não dá para ser trimestral?'”, diverte-se David. “Hoje ele é parte da identidade da Loft e só tem a contribuir.”

Outros assuntos que podem lhe interessar

Assine nossa Newsletter
Assine nossa newsletter