investir-acoes-ou-fundos-imobiliarios

Investir em ações ou fundo imobiliário: como o rendimento muda?

5 MINUTOS DE LEITURA

Entenda as diferenças entre investir no mercado de ações ou fundos imobiliários (FIIs) e qual é melhor para investidores novatos!

Em um cenário de baixa histórica da Selic, investir dinheiro em renda variável se tornou um caminho atraente para muitos brasileiros. Mas para quem está apenas começando, é muita informação, certo?

Duas das principais recomendações costumam ser investir em fundos imobiliários e/ou investir no mercado de ações – que são bem diferentes entre si! 

Ao longo deste artigo, você aprende as diferenças básicas entre essas opções e como funciona a geração de renda mensal dos fundos imobiliários (FIIs, na sigla do mercado).

Qual a diferença entre ações e fundos imobiliários?

Para começar, vale a pena entender quais são as principais características do mercado de ações e dos fundos imobiliários, também conhecidos como FIIs. 

Fundos imobiliários podem focar em diversos nichos (há os fundos de shoppings, fundos de galpões, de hospitais e até de agências bancárias), são operados por um gestor, quase todos geram renda mensal para seus cotistas e, historicamente, são menos voláteis que o mercado de ações.

Essa renda mensal gerada pelo fundo imobiliário significa que, mensalmente, você pode até reinvestir esse dinheiro – seja em ações, caso deseje, ou comprando novas cotas daquele mesmo fundo imobiliário. 

Já as ações são partes de empresas de todos os tipos, segmentos e indústrias que podem ser compradas e vendidas na bolsa de valores. Você, como acionista, pode comprar um pedacinho delas. 

Toda essa variedade envolve também diversos níveis de risco, e o mercado como um todo acaba sendo mais volátil  – o que significa tanto mais riscos quanto maior potencial de valorização e performance.

Quem paga mais dividendos: ações ou fundos imobiliários?

Algumas empresas na bolsa de valores pagam dividendos aos seus acionistas periodicamente, mas são exceções

Enquanto isso, o cenário é o oposto no universo dos fundos imobiliários: a maioria gera renda mensal aos seus cotistas.

Ao mesmo tempo, a ação de uma empresa pode subir muito mais do que a cota de um fundo imobiliário e facilmente superar o aluguel gerado por ele, criando muito mais renda dentro de um cenário de valorização de um ativo.

Quais fundos imobiliários pagam dividendos mensais?

Quase todos! A melhor forma de saber é investigar o fundo imobiliário que lhe interessa no site da B3, nome da antiga Bovespa, a Bolsa de Valores de São Paulo. Para conhecer os fundos imobiliários listados no Brasil, clique aqui

Quando quiser saber se um fundo imobiliário específico paga dividendos mensais, procure pelo arquivo “Perfil do fundo”, que descreve como ele funciona e esclarece também a data de pagamento.  

Quer mergulhar de vez nesse universo? Tire um tempinho para ler os artigos do FIIs.com.br, uma plataforma especializada em fundos imobiliários no Brasil.

Quanto rende um fundo imobiliário por mês?

O rendimento de fundos imobiliários, naturalmente, varia, principalmente de acordo com a receita mensal arrecadada, o número de cotistas e o valor da cota. Mas já dá para entender como a conta funciona!

Por lei, os fundos imobiliários devem repassar 95% da receita mensal de aluguel imobiliário e dividir esse valor proporcionalmente entre todos os cotistas. 

Suponha que você tenha 15 cotas de um fundo imobiliário que pagou R$ 1 por cota este mês. Ou seja, você vai receber R$ 15 de seu aluguel mensal – que é um tipo de renda passiva, investimento que já abordamos aqui no blog da Loft.

Agora, o que esses R$ 15 por mês significam em termos de rendimento do fundo imobiliário? Suponha que você tenha pago R$ 100 por cada uma dessas cotas e esse valor se manteve.

Então é preciso calcular a taxa de retorno assim: 

15 [número de cotas] x 100 [valor da cota] = 1500

E dividir esse valor pelo último rendimento:

15 [rendimento do mês] / 1500 [valor pago pelas cotas] = 0,01 * 100 = 1% ao mês

Quando se trata de rendimento, vale trazer um ponto de atenção. Sabe aquele histórico que mostra quanto um investimento rendeu nos últimos meses? Lembre-se de uma máxima dos investidores: rendimento passado não é rendimento futuro. 

Avaliar essa informação é bom para se situar, mas não substitui uma análise de mercado para entender o que vem por aí!

Afinal, qual investimento é mais seguro: ações ou fundos imobiliários?

Se você está pensando em termos de menor volatilidade, o investimento mais seguro é em fundos imobiliários. 

É por isso que os fundos imobiliários são mais recomendados aos investidores novatos – e o rendimento mensal que eles oferecem costuma agir de forma psicologicamente positiva, tranquilizando quem ainda está começando a investir e ainda teme oscilações. 

Depois que você se acostumar com o mercado financeiro, especialistas costumam sugerir diversificar seus investimentos para obter uma volatilidade média, equilibrando os altos e baixos das ações com a maior estabilidade dos fundos imobiliários.

Leia também: Por que o mercado imobiliário tem reagido tão bem à pandemia

Outros assuntos que podem lhe interessar

Assine nossa Newsletter
Assine nossa newsletter