Mercado imobiliário: o que você precisa saber para se preparar para o futuro

mercado-imobiliario-loft
Tempo de leitura: 5 minutos

Conheça 4 tendências do mercado imobiliário e por que (e onde!) se manter informado todos os anos, o ano todo é importante para se preparar ao futuro.

Um dos principais serviços que um corretor de imóveis presta aos seus clientes é ter as respostas às principais dúvidas de financiamento imobiliário e mercado imobiliário na ponta da língua.

Para tanto, é preciso manter-se atualizado em relação às novidades do mercado imobiliário, dinâmico por natureza. Ao longo deste artigo, você vai aprender:

  • Sobre as tendências macroeconômicas do Brasil
  • Exemplos de inovações tecnológicas que agregam valor ao cliente
  • A encontrar índices e notícias do mercado imobiliário

A importância de acompanhar o mercado imobiliário

O dia a dia do mercado imobiliário é regrado de maneira clara pela legislação brasileira. A profissão de corretor de imóveis, por exemplo, virou necessidade legal a partir da década de 1960.

Como é natural no mundo legislativo, há novas demandas e atualizações que vão se mostrando necessárias ao longo dos anos. Por isso, o entendimento da lei não é fixo e pode mudar – o que demonstra a importância de estar antenado com os acontecimentos.

Alguns exemplos:

  • Em fevereiro de 2017, o governo federal criou uma nova faixa salarial para famílias no programa Minha Casa Minha Vida, ampliando o acesso para quem tem até R$ 9 mil mensais de renda
  • Em março de 2018, atendendo ao pedido do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), os CRECIs revogaram as tabelas com preços mínimos para serviços de corretagem
  • Em novembro de 2018, o STJ abriu precedente para livrar do pagamento de imposto de ganho imobiliário quem faz permuta de imóvel e ganha uma parcela em dinheiro, entendimento já acatado pela Receita Federal

Reservar tempo para se atualizar constantemente, portanto, permite que você saiba o que está acontecendo na economia nacional e quais são as movimentações efetivadas ou que estão por vir. E isso agrega valor ao cliente!

Para Alex Lee, corretor há cerca de 10 anos e parceiro Top Broker da Loft, houve mudanças no comportamento do cliente diretamente relacionadas ao consumo da informação. “O comprador está mais racional, pesquisando muito antes de tomar uma decisão”, fala.

Leia também: Técnicas de negociação para o mercado de imóveis

4 tendências no mercado imobiliário para 2020

Se 2019 mostrou bons sinais de retomada, a perspectiva para 2020 é ainda mais otimista, uma tendência do mercado imobiliário para os próximos anos após uma longa crise econômica.

Para quem está na ponta do cliente, as coisas também parecem boas. “Tenho sentido que o comprador está mais ativo na busca por um novo imóvel e com menos medo de dar esse importante passo”, fala Alex Lee.

Crédito imobiliário cada vez mais barato

A queda da taxa Selic torna o crédito imobiliário mais barato, o que torna o financiamento muito mais atraente para o comprador. Quem fecha um financiamento imobiliário de 30 anos hoje passará esse tempo todo com a mesma taxa de juros do dia da assinatura.

No início de dezembro de 2019, o governo federal baixou a taxa Selic para 4,5%, menor valor da história. Na esteira do anúncio, a Caixa Econômica Federal anunciou uma nova taxa mínima fixa de crédito imobiliário: de 6,75% para 6,5%. Essa taxa inclui a soma da Taxa Referencial (TR), hoje zerada.

Segundo Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, cada 1 ponto percentual de queda de juros é uma redução de 15% no valor da prestação do financiamento.

Para manterem-se competitivos, outros bancos tomam nota dessa movimentação no mercado e a tendência é que eles também baixem suas próprias taxas, que variam hoje entre 7,3% e 9,5%. 

Mudanças de programas do governo

Em setembro de 2019, o governo federal anunciou novidades sobre o programa de habitação Minha Casa Minha Vida (MCMV), que é dividido em 4 faixas de renda com diferentes percentuais de subsídio.

Em 2020, seu orçamento deve cair quase pela metade, para R$ 2,7 bilhões. A gestão também estuda limitar o acesso ao programa por parte da faixa 1, entre quem ganha até R$ 1.800 mensais. Na faixa 4, onde estão famílias que recebem até R$ 9 mil por mês, nada muda.

Novos clientes (e imóveis) à vista

Com a queda da taxa básica de juros, o barateamento do crédito imobiliário e a perspectiva de recuperação da economia, virão (muitos!) novos clientes. Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) mostra o potencial que se abre na área: o número pode dar acesso a crédito imobiliário a 2,8 milhões de famílias no país.

Ainda segundo a Abrainc, incorporadores preveem 1 milhão de novas moradias em 2020, a maioria advinda do programa de habitação do governo federal citado acima. Cerca de 150 mil deles devem ser de médio e alto padrão.

Investimento em tecnologias

Hoje em dia, quase tudo é feito com pelo menos uma ajuda do digital para agregar valor ao seu produto ou serviço.

Quando se trata de mercado imobiliário, são inúmeras possibilidades: de investimento em data science para tornar o setor mais ágil e bem-informado quanto em ferramentas que facilitem a vida do cliente comprador ou vendedor.

Entre os exemplos já vigentes no mercado imobiliário estão o crescimento da prospecção online para corretores, através da gestão de leads e de estratégias de marketing digital, e inovações tecnológicas como simuladores de precificação de imóveis e de financiamento imobiliário.

Leia também: Conheça os materiais que a Loft oferece para facilitar a vida do corretor

Como oferecer um bom serviço de corretor

O corretor de imóveis deve unir as duas pontas do mercado imobiliário: conhecer o cenário macroeconômico e as novidades do setor financeiro, que impactam na decisão da transação imobiliária, e as soft skills e relações interpessoais necessárias para ajudar as pessoas a fecharem bons negócio.

Aprimorar-se em uma parte ou outra de maneira definitiva é impossível. Afinal, o cenário econômico-social brasileiro é dinâmico e cada cliente é único, com seus desejos e anseios particulares. Em outras palavras? O aprendizado de um bom corretor nunca termina.

Manter-se informado ajuda a conversar com clientes, que hoje tem acesso a muitas informações sobre o mercado imobiliário, resume Alex Lee. “E nós sempre temos que estar pelo menos um passo à frente deles – e não o contrário.”.

Dito isso, seguem abaixo algumas dicas valiosas para que você esteja sempre atualizado em relação ao que há de mais importante no mercado imobiliário!

Como se informar sobre mercado imobiliário?

  • Leia cotidianamente as editorias de Economia e Cotidiano dos grandes jornais, portais e revistas de sua cidade
  • Estude o Plano Diretor de sua cidade, onde são delineadas as estratégias de longo prazo para o território
  • Converse sobre o mercado com seus colegas constantemente: é um ótimo jeito de se atualizar!
  • Mantenha-se atento aos números que dão a temperatura do mercado, como Radar Abrainc-Fipe e Índice FipeZap
  • Faça treinamentos e estudos constantes: a Loft oferece os cursos da Loft Pro plataforma de ensino a distância 100% gratuita

Mas atenção: mesmo que informação nunca seja demais, preze pela qualidade. “Além do básico, como jornais e revistas, temos vários podcasts, blogs, etc. Mas nem tudo que é direcionado ao corretor tem qualidade”, avisa Alex.

Com esse filtro qualitativo ativado, ele prefere abrir suas newsletters, entre as quais estão as da Remax e da Bossa Nova Sotheby’s. “E, sem querer puxar a sardinha, tento acompanhar tudo da Loft – Instagram, blog, Loft Talks – pois os temas costumam ser ‘mais a ver comigo'”, diverte-se.

Leia também: 18 bons aplicativos para corretores de imóveis trabalharem online