mix-de-financiamento

Entenda o sistema de amortização misto

6 MINUTOS DE LEITURA

Se você está buscando um empréstimo ou financiamento, provavelmente já sabe o que é amortização, e possivelmente já ouviu falar do que é o sistema de amortização misto. Ele é uma “mistura” dos sistemas de pagamento de parcelas mais populares para operações de crédito. 

Mas será que um financiamento mix de imóvel, digamos, é o ideal para você? Neste artigo, vamos explicar em detalhes como funciona a amortização mista, seus benefícios e suas particularidades.

Como funciona o sistema de amortização misto?

O chamado Sistema de Amortização Misto (ou SAM) é uma modalidade de amortização de parcelas que fica no meio do caminho entre dois outros sistemas bem conhecidos e utilizados: o Sistema de Amortização Constante (SAC) e a Tabela Price, também chamada de Sistema de Amortização Francês (SAF). 

No caso do SAM, o valor da parcela será uma média aritmética do valor da prestação no SAC e na Tabela Price. Portanto, para calculá-la, é preciso fazer a soma de quanto sairiam as parcelas pelos dois sistemas, e dividir o resultado por dois. 

Portanto, podemos dizer que, ao mesmo tempo em que as parcelas variam, como na SAC, essa variação é menos intensa – o fato de a Tabela Price ter parcelas sempre fixas acaba equilibrando o cálculo. Essa média aritimética vai sendo calculada até que o saldo devedor seja zerado, portanto. E aí, a sua dívida com o banco será considerada paga. 

Sistema de amortização: qual é a diferença entre o SAC, o Price e o mix?

Você já deve ter compreendido que para entender o sistema de amortização Mix ou misto, precisa identificar a diferença entre o SAC e a Tabela Price. Pois vamos a ela. 

No Sistema de Amortização Constante (SAC), as parcelas são sempre decrescentes. Isso porque uma amortização fixa (a “constante” do nome) é retirada do saldo devedor para compor a parcela. A essa amortização, soma-se o produto da taxa de juros mensal sobre o valor do saldo devedor (o valor do que foi originalmente financiado pelo banco e que você ainda não pagou). Também são acrescentadas taxas administrativas e seguros obrigatórios.

Já na Tabela Price, o valor da amortização não é sempre o mesmo. Constante, mesmo, é o valor das parcelas, que é dado já no início do financiamento. Então, a prestação é composta do produto dos juros sobre o saldo devedor, e o restante é completado por amortização. Como você deve imaginar, conforme o saldo devedor diminui (e assim o produto dele pela taxa de juros), o valor da amortização aumenta dentro da parcela. 

Em um financiamento imobiliário, que é uma operação longa, o SAC acaba sendo mais vantajoso financeiramente que a Tabela Price. Isso porque, somando-se essas parcelas decrescentes, o valor final que você pagará ao banco acaba sendo menor. A Tabela Price mantém o saldo devedor mais volumoso por mais tempo, e isso faz com que o valor pago em juros seja também maior.

O que é mix de financiamento?

Já a expressão mix de financiamento não vem exatamente do sistema de amortização misto, e sim de uma modalidade de financiamento imobiliário que instituições como o Itaú ofereciam. Nesse caso, ocorre uma “mistura” entre as modalidades SAC e Price no pagamento de parcelas, mas não da mesma forma que no sistema misto. 

O produto financeiro do Itaú funcionava da seguinte forma: nos primeiros 36 meses de financiamento, as parcelas são fixas, e variam só conforme a correção monetária do saldo devedor e o valor dos seguros. A partir do 37º mês, a prestação passa a ser decrescente, e é recalculada conforme o Sistema de Amortização Constante. 

Segundo o próprio Itaú, no quesito adm financeira, o mix de financiamento tem como uma de suas vantagens gerar “uma amortização maior do saldo devedor nas primeiras 36 parcelas, permitindo uma redução significativa do saldo devedor a partir do 37º mês, além da redução dos juros”. 

Qual é o sistema mais vantajoso de pagamento de parcelas?

A resposta para essa pergunta depende do perfil de quem está financiando o imóvel. Como já vimos, o Sistema de Amortização Constante é o que vale mais a pena quando falamos em valor final pago pelo apartamento. Nele, o saldo devedor cai mais rápido e incidem menos juros sobre a operação. 

Price ou SAC, que opção escolher? Confira neste vídeo da Revista Exame.

Mas essa não é a questão mais determinante para todos os compradores. Para alguns deles, o mais importante é que as primeiras prestações caibam dentro dos 30% de renda mensal que eles podem comprometer com um financiamento imobiliário. 

Nesse sentido, por ter parcelas fixas, a Tabela Price pode ser mais adequada, já que o SAC começa com uma prestação muito mais cara que as demais, e isso tornaria impossível uma operação de crédito para alguém com uma renda limitada. 

Compre e financie com a Loft, e faça as escolhas mais vantajosas

Price ou SAC, o que escolher para determinar as parcelas? Se você comprar seu imóvel com a Loft, não precisa se preocupar com esse e com outros dilemas. Ao garantir seu próximo apartamento conosco, você terá o suporte integral de uma equipe de especialistas em financiamentos imobiliários, que vão cuidar de toda a comunicação direta com os bancos por você. 

Esse time te ajuda com toda a burocracia, enviando documentos e providenciando o registro da operação no cartório de imóveis competente. Além disso, vai apontar quais são os caminhos mais vantajosos para o seu financiamento: qual linha de crédito faz mais sentido para o seu perfil, em qual banco e com qual configuração de parcelas. 

Quer financiar com a certeza de um bom negócio? Então encontre seu novo lar no nosso portfólio de apartamentos à venda e conte com a Loft para ter a melhor experiência de compra possível.

Outros assuntos que podem lhe interessar

Assine nossa Newsletter
Assine nossa newsletter