piscina-de-condominio

Piscina de condomínio: conheça vantagens e regras

6 MINUTOS DE LEITURA

Dispor de uma área de lazer completa é uma grande vantagem na vida em apartamento; saiba tudo sobre o uso de piscina de condomínio

Em momentos de calor e sol, aproveitar um dia à beira da piscina é um programa perfeito e refrescante para a família toda. A diversão, no entanto, não significa que não haja regras e normas de segurança para a área de lazer do condomínio. Principalmente quando se trata de piscina de condomínio, um local que, muitas vezes, moradores de imóveis diferentes frequentam ao mesmo tempo. 

Neste artigo, conheceremos as vantagens e as desvantagens de contar com essa comodidade. Já adiantamos que um dos benefícios é: piscina em condomínio, além de aumentar o conforto da família, valoriza o imóvel, transformando-o em um ótimo investimento.

Quem pode usar a piscina do condomínio

Muita gente se pergunta sobre quem pode usar a piscina do condomínio. Afinal, em um dia de calor, nada melhor do que ter amigos e familiares por perto. A resposta é: podem usar a piscina aquelas pessoas liberadas pelo regimento interno do condomínio, incluindo visitantes.

Caso o espaço aquático seja pequeno, certamente o condomínio não vai liberar muitos visitantes, do contrário outros condôminos não conseguirão usufruir desta comodidade. Cabe à assembleia do condomínio regulamentar, em código interno, o número de moradores e visitantes que poderão usar a piscina e outras áreas comuns. Não se esqueça de que os convidados são responsabilidade dos moradores.

Lei sobre piscina em condomínio: responsabilidade de quem?

Um dia de piscina é sinônimo de diversão, mas também de responsabilidade. Para garantir ótima segurança, manutenção adequada e uma boa qualidade da água, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) estabeleceu, ao longo dos anos, normas para as piscinas instaladas no país.

Não existe uma lei sobre piscina em condomínio especificamente. Um projeto de lei que trata de regras básicas de segurança para fabricação, instalação e funcionamento de piscinas, como forma de evitar acidentes, corre na Câmara dos Deputados. Se aprovada, a proposta poderia funcionar como um tipo de legislação para piscina de condomínio ou de qualquer outro local e também para casa de condomínio com piscina.

Piscina em condomínio é responsabilidade de todos os condôminos. É preciso haver um regimento interno com as regras que todos devem respeitar. O código deve estar disponível também em um local próximo à piscina para que todos os frequentadores do espaço possam vê-lo. As regras devem ser objetivas, de fácil entendimento e ainda conter símbolos.

O artigo 348 do Código Civil aponta que o síndico deve “diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores”. Ou seja, o síndico precisa ficar atento às regras de uso, à manutenção, limpeza e segurança da piscina.

De acordo com o portal Síndiconet, os administradores do prédio ou do condomínio devem seguir as normas da ABNT para manutenção, segurança e limpeza das piscinas. Na lista de regras, estão algumas como:

– Ter uma pessoa especializada limpeza e cuidados com a água da piscina;
– Ter um ou mais salva-vidas identificado na área da piscina;
– As piscinas infantis não ter mais de 60 cm de profundidade;
– Os ralos devem estar cobertos por grades ou tampas.

E embora o síndico tenha suas atribuições, é importante ter em mente o seguinte lema: “piscina em condomínio: responsabilidade de todos”. Os condôminos também precisam cuidar das áreas comuns.

Normas para uso de piscina em condomínios

As normas para uso de piscina em condomínios podem mudar de um local para o outro. Existem, no entanto, algumas regras básicas para a convivência harmoniosa. As dicas são as seguintes:

– Não fazer xixi na piscina;
– Não comer, beber ou fumar na área da piscina;
– Não jogar lixo na piscina;
– Usar a escada para entrar e não saltar da borda;
– Não deixar animais de estimação entrarem na piscina;
– Não ligar rádios ou aparelhos de som na área da piscina.

piscina em condominio
Seguir as normas para uso de piscina é fundamental para o bom convívio com os vizinhos

Normas de segurança em piscinas

Para que a diversão não vire um problema, é preciso também seguir normas de segurança em piscinas. Reportagem da BBC, de 2018, apontou que afogamento era, naquele ano, a maior causa de mortes acidentais de crianças no Brasil. 

Reunimos alguns cuidados que devem ser tomados por todos para evitar acidentes. Veja as seguintes regras de segurança para piscinas:

– Não correr no entorno da piscina;
– Ficar atento ao piso molhado;
– Recomenda-se piso antiderrapante na área;
– Não empurrar ninguém na piscina;
– Indicar através de cartazes qual é a profundidade da piscina;
– Caso não saiba nadar, usar boias ou coletes salva-vidas;
– Em caso de chuva, não usar a piscina;
– Cercar ou cobrir a piscina para evitar que crianças caiam.

Vantagens e desvantagens de ter uma piscina de condomínio

Na lista de vantagens e desvantagens de ter uma piscina de condomínio há diversas questões importantes. Dentre os benefícios de ter uma piscina, está a valorização do imóvel, diversão da família, estreitar laços com vizinhos e fazer mais exercícios. 

Já as desvantagens são: possível taxa de condomínio mais alta e barulho de outros moradores ou visitantes na área da piscina.

Áreas de lazer em condomínio: encontre imóveis com comodidades na Loft

Além de piscina, os edifícios podem ter outras áreas comuns de condomínio para os moradores. São elas: playground, espaço gourmet, salão de festas e academias de ginástica. Caso você esteja planejando comprar um imóvel com essas características utilitárias, a Loft pode ajudar nessa busca.

O site conta com apartamentos à venda nas melhores regiões de São Paulo e do Rio de Janeiro, clique aqui para conhecer e agendar sua visita presencial ou virtual!

Outros assuntos que podem lhe interessar