Quanto custa comprar um apartamento?

quanto-custa-comprar-um-apartamento-detalhe-revestimento-loft
Tempo de leitura: 5 minutos

Saiba como pesquisar o custo de comprar um apartamento e quais são os metros quadrados mais valiosos nas capitais do Brasil.

São muitos os portões com placas de venda penduradas Brasil afora, mas por onde começar? Antes de sair agendando as visitas, é preciso entender o básico sobre quanto custa comprar um apartamento, o que vale a pena e o que não vale.

Para ter segurança no custo, saiba que você vai precisar investir tempo e visitar vários imóveis similares em uma mesma região (quanto maior o número, melhor). Assim, vai entender a precificação geral do bairro na prática e construir seu próprio leque de opções.

Ao analisar pontos críticos da localização (infraestrutura, transporte, segurança, comércio local) e dos imóveis em si (estado de conservação, metragem, área de lazer, tipo de planta), aprenderá rapidamente a pensar como o mercado pensa.

Uma vez com a chave do seu próprio apartamento em mãos, você estará na companhia da maioria dos brasileiros. Segundo dados mais recentes do IBGE na área, coletados em 2016, há 69,2 milhões de domicílios no país. Destes, 68,2% são próprios e já quitados, enquanto 5,9% estão sendo pagos.

Se você estiver achando tudo difícil, lembre-se: muita gente já viveu esse mesmo momento e encontrou o que buscava!

Quanto custa comprar um apartamento?

O mercado imobiliário muda muito de cidade para cidade, e o custo de um apartamento acompanha essa variação. Não há receita de bolo para descobrir uma média que valha para todos. Há, no entanto, uma série de possibilidades de investigação.

O Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados, por exemplo, é um indicador que acompanha preços de venda e aluguel de imóveis no país ao analisar centenas de milhares de anúncios online.

Mensalmente, a organização divulga um relatório gratuito com dados sobre as vendas residenciais em 16 capitais e seus entornos. Para acessá-lo, clique aqui, selecione a aba Venda Residencial e o mês desejado.

O texto permite conhecer pontos importantes, como:

  • Histórico de preços dos últimos 12 meses (para entender se o mercado está em alta ou em baixa)
  • 10 bairros, zonas ou distritos com os preços médios mais altos e mais baixos por m2
  • Distribuição de preços médios no mapa da cidade

Assim, se você se interessa por um apartamento de 80 m2 no setor Sudoeste de Brasília, pode utilizar o metro quadrado do FipeZap para calcular um valor médio de R$ 703.200 (segundo dados de março/2019). Já tem um ponto para se balizar!

Além disso, pode buscar sites de anúncios de imóveis à venda do jeito e na região que lhe interessa e ter ainda mais insumos para tomar decisões. Para manter a organização, guarde as informações que encontrar numa planilha.

Outra opção interessante é pesquisar quais são as imobiliárias mais ativas na região e verificar os preços de imóveis divulgados em seus sites.

É importante frisar que as visitas em pessoa são imprescindíveis e vão render informações mais assertivas, além de serem ideais para realmente identificar suas preferências pessoais.

Quanto sol bate na janela do quarto pela manhã, por exemplo, é algo que você só consegue entender in loco. E, visto que você está prestes a fazer um grande investimento, é melhor não pular etapas.

O que fazer para avaliar se o custo do apartamento vale a pena?

Como já mencionamos, o que é realmente essencial é visitar apartamentos parecidos na mesma região para comparar os preços. Sempre que possível, colete os valores de IPTU e condomínio. Assim, sua conta fica mais completa (você vai precisar pagar esses dois de qualquer jeito, certo?).

Se encontrar um preço muito discrepante, preste atenção. Um imóvel perfeito por uma bagatela é algo raríssimo, então esteja atento e descubra se não há algum problema dentro ou fora do prédio, como uma obra que prestes a subir logo ao lado, encanamento estourado no edifício ou uma dívida na justiça.

Por fim, não desconte os serviços de um corretor: estes profissionais são especializados justamente nisso e podem ser uma boa opção para você.

Preço de um apartamento por metro quadrado em 2019

São Paulo

Segundo o FipeZap de março de 2019, o custo médio por metro quadrado em São Paulo foi de R$ 8.880. Ou seja, um imóvel de 70 m2 custaria, em média, R$ 621.600. As regiões mais valorizadas por metro quadrado foram:

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, a média foi de R$ 9.474 por m2, e os bairros mais valorizados trouxeram os seguintes valores:

  • Leblon: R$ 20.432/m2
  • Ipanema: R$ 18.832/m2
  • Lagoa: R$ 16.393/m2
  • Gávea: R$ 16.321/m2
  • Jardim Botânico: R$ 14.858/m2

Belo Horizonte

Em Belo Horizonte, o preço médio foi de R$ 6.297 por m2. Os bairros mais valorizados foram:

  • Savassi: R$ 11.184/m2
  • Funcionários: R$ 10.986/m2
  • Lourdes: R$ 9.523/m2
  • Boa Viagem: R$ 9.407/m2
  • Belvedere: R$ 9.167/m2

Brasília

Em Brasília, a capital do país, o preço médio foi de R$ 7.169 por m2. Confira os bairros mais valorizados:

  • Park Sul: R$ 10.534/m2
  • Vila Planalto: R$ 10.001/m2
  • Setor Noroeste: R$ 9.415/m2
  • Setor Sudoeste: R$ 8.790/m2
  • Setor Octogonal: R$ 8.688/m2

Salvador

Em Salvador, o preço médio foi de R$ 5.004 por m2. Estes foram os bairros com valor mais elevado:

  • Comércio: R$ 10.836/m2
  • Centro Histórico: R$ 9.471/m2
  • Vitória: R$ 7.449/m2
  • Jaguaripe I: R$ 7.191/m2
  • Barra: R$ 6.988/m2

O que valoriza (e desvaloriza) um imóvel?

As regiões mais valorizadas de uma cidade têm coisas em comum e que servem de base para sua análise:

  • Boa infraestrutura pública (iluminação, ruas bem pavimentadas, opções de transporte público)
  • Proximidade a escolas, hospitais e áreas verdes
  • Qualidade do comércio local
  • Bons índices de segurança (para informações bairro a bairro, busque informações na imprensa)

Além disso, vale pesquisar o futuro daquele pedaço. Se uma obra de grande porte estiver em curso ou prevista, como uma nova estação de metrô ou um shopping center, o valor do imóvel pode subir logo mais.

Obviamente, as características do imóvel e do edifício são fundamentais para seu preço. Entre os pontos que influenciam quanto custa comprar um apartamento estão:

  • Tamanho (quanto mais espaçoso, mais caro)
  • Andar (quanto mais alto, mais caro)
  • Estado de conservação do apartamento
  • Idade do prédio
  • Rua (se é movimentada ou silenciosa, inclinada ou reta)
  • Planta (número e distribuição dos cômodos)
  • Número de vagas na garagem
  • Número de dormitórios
  • Lado para o qual o imóvel está virado (o que influencia a luminosidade)
  • Vista definitiva (quanto mais ampla, mais caro)
  • Acabamentos e equipamentos inclusos
  • Tipo de planta e se houve reforma ou melhoria
  • Existência e tipo de área de lazer (piscina, salão de festas, academia, sauna, etc.)
  • Serviços (portaria, lavanderia, concierge, etc.)

O momento que o mercado imobiliário da cidade vive também é relevante. Caso esteja em alta, você pode precisar desembolsar mais para morar onde quer e sua margem de negociação é menor. Se você não quiser, alguém vai querer, pensa o proprietário.

Já na baixa, há mais abertura para discutir o valor. O dono do apartamento provavelmente tem gastos no meio tempo, como condomínio e consertos, e pode estar disposto a encontrar um meio termo.

Outra dica: antes de bater o martelo, visite os imóveis que mais lhe interessam mais de uma vez, em horários e dias diferentes.

Documentos, taxas e impostos para comprar um apartamento

Depois de encontrar o apartamento certo, há uma inescapável parte burocrática (e dispendiosa) do processo e que pode chegar a 4,5% do valor do imóvel. Conheça alguns custos envolvidos na compra de um apartamento residencial:

  • Escritura pública (para pagamento à vista)
  • Contrato de Compra e Venda (em caso de financiamento, aquele feito pelo banco cumpre essa função)
  • Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (a alíquota muda de estado para estado)
  • Registro do imóvel
  • Comissão do corretor (caso tenha contratado o profissional)

Quanto custa comprar um apartamento da Loft?

Na Loft – que compra, reforma e vende apartamentos de alto padrão nos bairros mais nobres de São Paulo –, nosso algoritmo de precificação utiliza ciência de dados e inteligência de mercado para chegar no resultado.

Cada apartamento à venda foi avaliado em mais de 50 critérios antes da aquisição, e essas notas se juntam a informações sobre todas as transações imobiliárias similares naquela região.

Assim, chega-se a um preço justo, tanto na compra quanto na venda. O que o cliente final paga já inclui o preço da reforma (que usa os melhores acabamentos do mercado) e elimina a dor de cabeça envolvida em “caçar” uma boa moradia e renová-la.

Vale destacar que os apartamentos são entregues prontos para morar, com cada detalhe funcionando, e o time jurídico toma conta de todo o processo burocrático. Ficou curioso? Confira nosso portfólio de apartamentos e marque uma visita!