Custo-benefício: a reforma da Loft agrega valor ao metro quadrado de seus imóveis

reforma-loft-agrega-valor
Tempo de leitura: 5 minutos

Para comparar preços, é preciso pensar no gasto com reforma. A Loft entrega imóveis de alto padrão, livres dessa preocupação, a preços justos. Entenda a conta!

Reformar um apartamento costuma ser vantajoso, tanto para melhorar a qualidade de vida quanto para colocá-lo à venda. Não surpreende, no entanto, que a principal preocupação seja seu custo: uma reforma não sai barata no Brasil. 

Para que as finanças fiquem sob controle, é preciso ter um alto nível de preparo e organização, que envolve o planejamento da obra em si (a depender do nível, ela legalmente exige acompanhamento de engenheiros ou arquitetos), compra de material, gestão de pessoal e uma boa margem para lidar com imprevistos diversos.

Por isso, vale fazer as contas e entender o que está sendo economizado (ou não) na compra de um apartamento reformado ou não-reformado. Se a busca é por um espaço de alto padrão, como são os da Loft, renová-lo por conta própria pode custar o triplo do preço que custou para a empresa

A razão está na justamente na escala do negócio. Como a Loft reforma muitos imóveis, tem acesso a preços diferenciados com seus fornecedores de ponta – móveis Bontempo, metais Hansgrohe e piso de madeira Indusparquet, para citar alguns. E como tem know-how interno e equipe de obras experiente, consegue fazer tudo com mais agilidade e eficácia.

Ao fim e ao cabo, segundo Breno Azevedo, do time de precificação da Loft, a equação é simples. É possível adquirir um imóvel sem melhorias por menor valor, mas ter um custo de manutenção maior, principalmente na infra-estrutura. Para um apartamento reformado, a situação se inverte: o valor de compra será maior, mas a dor de cabeça (e os gastos) com a obra serão evitados. 

O importante é fazer comparações sensatas e entre itens de fato similares. “Os imóveis da Loft podem ser vistos como caros para determinadas pessoas, mas é por os compararem com outros no mesmo prédio ou mesma microlocalização – e que na maioria das vezes possuem uma qualidade de acabamento e intervenções consideravelmente menor”, continua.

O que significa reformar um imóvel

Para quem opta por um apartamento não-reformado, o projeto começa depois da tomada de posse. Entre os aspectos básicos que devem ser levados em consideração estão: 

  • Planejamento: criação de orçamentos e cronogramas, escolha de projetos, obtenção de aprovação de condomínio, definição de materiais, etc.)
  • Compra de material: contato e negociação com fornecedores, compatibilização de prazos de entrega, garantia de qualidade da matéria-prima
  • Consultas profissionais: contratação de arquitetos para o projeto e mão de obra para cada serviço específico
  • Gestão da obra e imprevistos: garantia de execução dos serviços e chegada dos materiais, resolução de problemas com condomínio e vizinhos
reforma-loft-agrega-valor
Todo o processo que envolve uma reforma de apartamento deve ser pensado antes do seu início

Para ter uma ideia da média de preços na compra de materiais (por unidade) e contratação de serviços (por hora), qualquer um pode acessar o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), a principal referência da área feita pelo IBGE e pela Caixa Econômica Federal.

Aplicativos como o Reforma Simples, que tem uma versão para desktop, permitem a criação de orçamentos preliminares com base no próprio Sinapi, que pode ser difícil de entender. Assim, é possível descobrir online que a hora de trabalho de um pintor em São Paulo, hoje, é por volta de R$ 64 e o litro de tinta acrílica sai por R$ 9,60 – e começar as estimativas. 

Segundo dados da Loft, que tem uma equipe dedicada de ciência de dados para obter insights sobre o mercado imobiliário, nove a cada 10 reformas têm algum problema. Em média, o custo é 61% superior ao que foi previsto e elas duram 57% a mais. Ou seja, uma obra de 3 meses orçada em R$ 20.000 pode custar R$ 32.200 e durar quase 5 meses.

“Quem já fez uma reforma tem plena consciência de que significa muita dor de cabeça, mas ao mesmo tempo é um ‘problema’ necessário: é a garantia do conforto no seu lar”, diz Ingrid Dourado, do time de qualidade da Loft. “Deve-se levar em conta que será uma etapa conturbada, tanto psicologica quanto financeiramente.”

De acordo com ela, grande parte das pessoas esquece de alinhar a execução de serviços com o cronograma e de adicionar nele folgas aos prazos para lidar com imprevistos, que podem ir do atraso na entrega de materiais a greves de transporte e chuvas fortes, que impossibilitam ou dificultam a chegada de prestadores de serviços.

há Custos paralelos envolvidos no processo de reforma

Há outros custos envolvidos enquanto a reforma está sendo conduzida. É preciso quitar contas de IPTU e condomínio mesmo se você não estiver morando no novo imóvel, como acontece com frequência com obras grandes – e, nesse caso, pagar o condomínio e o aluguel do imóvel onde você está morando no meio tempo. 

Ao adquirir um apartamento da Loft, esse problema não existe. A reforma já está inclusa no preço e as chaves só são entregues quando tudo foi concluído (e com uma garantia de um ano para a obra como um todo). Enquanto isso não acontece, a empresa paga o condomínio e o IPTU daquele imóvel mesmo depois que o contrato de compra e venda for assinado.

“Quando você entra em um imóvel reformado, consegue evitar todos os transtornos e dificuldades expostos aqui”, continua Ingrid. “Reforço o fato de você não precisar depender de ninguém e ainda se assegurar de que os materiais e os profissionais envolvidos são os melhores do mercado.”

Quanto custa o metro quadrado na Loft?

Segundo o mais recente Índice FipeZap para venda de imóveis residenciais em São Paulo, de março de 2019, o custo médio do metro quadrado no Itaim Bibi, um dos bairros em que a Loft atua, é R$ 13.871.

No portfólio hoje, há opções com a reforma de alto padrão já inclusa por R$ 12.380/m2,  R$ 12.000/m2, R$ 13.294/m2 e R$ 13.772/m2. Nos apartamentos que superam esse valor, o preço também é próximo, a exemplo dos imóveis de R$ 14.406/m2 e R$ 15.986/m2.

Não é por acaso: a precificação é feita com dados e machine learning para que esteja alinhada com a realidade

“Utilizamos um modelo complexo baseado em todas as matrículas de imóveis, de todos os bairros em que a Loft opera, e outros dados obtidos por meio de tecnologia. Esse modelo usa mais de 100 variáveis para encontrar as transações mais comparáveis com o imóvel analisado”, explica Breno. Quando o modelo entrega um número, continua ele, “entra a análise com checagens para que tenhamos um valor justo de mercado”.

Na prática, esse sistema permite comparar meticulosamente o preço do imóvel pós-reforma com outros no mesmo prédio e que tenham planta, localização e até áreas de lazer parecidas na mesma região.

Em prol da transparência, o time da Loft está disponível para explicar em detalhes os custos envolvidos, inclusive os preços pagos por cada acabamento utilizado caso o cliente queira fazer suas próprias comparações. 

Se a obra do imóvel ainda estiver em andamento, é possível inclusive fazer pedidos, adições e alterações para personalizá-la. Além disso, a reforma de layout leva em conta as demandas de habitação atuais e atende o que o cliente moderno procura hoje, como espaços integrados e suítes.

Na prática, a Loft atualiza o apartamento da porta para dentro e também da porta para fora, aumentando seu valor de mercado. Conheça o portfólio e marque sua visita!