É obrigatório ter um seguro no financiamento imobiliário?

seguro-financiamento-imobiliario
Tempo de leitura: 6 minutos

Imprevistos fazem parte da vida, mesmo com todo o planejamento que possamos ter em torno de um objetivo. Por isso, você deve ter reparado que o pagamento de seguros faz parte das parcelas de um financiamento imobiliário. 

A contratação desses seguros é algo importante, já que essas operações de crédito costumam ser pagas ao longo de muitos anos. E nesse período, apesar de raras, situações imprevisíveis podem comprometer o pagamento da dívida. 

Neste texto, vamos explicar em detalhes como funciona o seguro para o financiamento imobiliário. Você vai poder tirar as seguintes dúvidas ao longo da leitura: 

  • Sou obrigado a ter um seguro para o financiamento imobiliário?
  • Como funciona o seguro de financiamento imobiliário? 
  • Como fazer um financiamento mais protegido?
  • É possível fazer um financiamento com seguro embutido?
  • Como calcular a taxa do seguro do financiamento imobiliário na Caixa?
  • Como funciona o seguro do financiamento da Caixa?
  • Tenha mais segurança ao financiar com a Loft Cred 

Sou obrigado a ter um seguro para o financiamento imobiliário?

A resposta para essa pergunta é sim: você é obrigado a ter um seguro para o financiamento imobiliário. Por lei, você deve contratar dois seguros para seu financiamento. 

O primeiro é o seguro DFI (Danos Físico ao Imóvel). Ele cobre eventuais danos à integridade física da casa ou apartamento O valor da cobertura atinge o valor de avaliação do imóvel. Os bancos, antes de aprovar o financiamento, pedem que uma empresa especializada avalie o imóvel a ser comprado.

Alguns incidentes que podem provocar o acionamento do DFI são incêndios, alagamentos, explosões que afetem o imóvel, além de destelhamento e muitos outros. 

Com o seguro, tanto o devedor quanto o credor ficam protegidos. Afinal, ter que lidar com uma ocorrência na casa pode atrapalhar o pagamento da dívida com o banco. É importante destacar que o DFI não cobre problemas causados por construção de má qualidade. 

Há ainda o seguro por Morte ou Invalidez Permanente (MIP). Esse funciona como um seguro de vida para os compradores. A indenização dele abrange o saldo devedor em aberto na data em que ocorrer o sinistro. Ele serve para que o credor não fique com o débito em aberto caso algo grave aconteça com o devedor. 

De acordo com dados mais recentes da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), a  arrecadação com seguros habitacionais de janeiro a setembro de 2020 (R$ 3,3 bilhões) já representa 80% do total arrecadado no ano passado inteiro (R$ 4,1 bilhões). 

Como funciona o seguro de financiamento imobiliário? 

Esses seguros são embutidos nas parcelas mensais pagas pelo devedor para todos os financiamentos feitos pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Geralmente, compõem mais ou menos 3% da prestação. 

Os dois seguros são calculados de formas diferentes. A alíquota do seguro MIP varia de acordo com a idade do cliente. O que faz sentido, pois quanto mais velho o comprador, maiores as chances de um problema de saúde associado à idade. A alíquota é multiplicada pelo saldo devedor atualizado e integrado à parcela a ser paga. 

No caso do DFI, a alíquota incide sobre o valor do imóvel avaliado no momento da contratação do crédito. O produto é incluído na parcela mensal.  A alíquota não se altera ao longo do pagamento da dívida 

As duas modalidades de seguro começam a valer quando a operação é formalizada e o contrato entre o devedor e o banco credor é assinado. A validade vai até a extinção da dívida do financiamento

Existem algumas limitações na cobertura dos seguros. Aposentados por invalidez, por exemplo, só podem contratar seguro por morte (já que a situação de invalidez já existe). Doenças que causem invalidez também não podem ser conhecidas antes da assinatura do contrato caso sejam elas o motivo do sinistro. 

Em caso de composição de renda, o seguro por Morte e Invalidez Permanente cobre apenas a parte proporcional da pessoa atingida. A morte de uma pessoa que financia um imóvel em dupla, por exemplo, só cobriria metade da dívida se os dois contribuíssem para as parcelas de maneira igual. Assim, o devedor vivo ainda precisa pagar a sua parte (50% o restante do débito). 

“O seguro vai ser proporcional às rendas apresentadas”, explica Roberta Oka, especialista em financiamentos imobiliários da Loft Cred. “A dívida (restante) vai ficar para essa outra pessoa, e ela precisa saber disso ao contratar o financiamento”. 

Como fazer um financiamento mais protegido?

Além dos seguros obrigatórios, é possível fazer também um financiamento ainda mais protegido com coberturas adicionais. Algumas instituições financeiras disponibilizam ao cliente seguros que cobrem parte das parcelas (com um limite de valor) em caso de desemprego ou perda de renda por acidentes e doenças. 

O Seguro Crédito Protegido do Banco do Brasil, por exemplo, cobre até 3 parcelas em caso de desemprego ou incapacidade do devedor. Já o Seguro Santander Parcela Protegida, com alíquotas anunciadas de 2% a 5,3% ao mês, paga de 3 a 8 parcelas do financiamento de até R$ 3 mil em caso de perda de renda por desemprego ou por acidente e doença. 

É possível fazer um financiamento com seguro embutido?

O financiamento com seguro embutido no valor mensal das parcelas é o padrão. A discriminação desses seguros precisa estar também no contrato de concessão de crédito assinado pelo banco e pelo comprador. 

No entanto, tome cuidado com seguros adicionais que podem ser incluídos pelo banco no seu financiamento por pressão dos gerentes ou sem aviso prévio. Tenha em mente que os seguros obrigatórios são apenas o MIP e o DFI. Em caso de dúvidas, solicite esclarecimentos do banco. Procure checar se há necessidade de assinar contratos de seguros separados do contrato de financiamento. 

Caso algum seguro que não seja obrigatório tenha sido inserido sem o seu consentimento no financiamento imobiliário, existe como cancelar a prestação da seguradora. Entre em contato com o seu banco. 

O banco credor também não pode obrigar o cliente a usar o produto financeiro da empresa como seguro obrigatório. O cliente tem direito de escolha e pode optar pelos seguros obrigatórios contratados com outra empresa de sua preferência.  

Como calcular a taxa do seguro do financiamento imobiliário na Caixa?

Para entender como calcular a taxa do seguro do financiamento imobiliário na Caixa com exatidão, é necessário consultar as alíquotas presentes nas suas apólices. No entanto, vamos mostrar aqui como funciona a composição das parcelas com os seguros incluídos. 

A prestação é composta majoritariamente por uma amortização (parcela do saldo devedor) e juros, que são calculados com base no saldo devedor corrigido pela Taxa Referencial ou pelo IPCA. A não ser que seu contrato de financiamento com a Caixa tenha uma taxa prefixada, que não prevê a atualização monetária da dívida para calcular as parcelas. 

O total correspondente ao MIP é obtido com a aplicação da alíquota prevista na apólice sobre o saldo devedor atualizado. A esse total, soma-se ainda o valor do seguro DFI. Como já explicamos, a alíquota definida contratualmente é aplicada sobre o valor da avaliação do imóvel. 

Como funciona o seguro do financiamento da Caixa?

O seguro do financiamento da Caixa funciona de forma unificada. As coberturas dos seguros MIP e DIP fazem parte do Seguro Habitacional do banco. Existem dois tipos diferentes de seguro, que podem ser contratados por clientes que estão financiando com o banco. Segundo as informações da Caixa, os seguros de financiamento habitacional se diferenciam pela cobertura. 

eja como funciona o seguro habitacional da Caixa

No Seguro Habitacional Tradicional, a cobertura engloba Morte ou Invalidez Permanente (MIP), além de Danos Físicos ao Imóvel (DFI). Dá direito também a assistência domiciliar 24 horas nos dois primeiros anos de financiamento e sorteios semanais de R$55 mil durante o 1° ano do contrato.

Já o Seguro Habitacional Mais, além das coberturas obrigatórias em um financiamento, indeniza por Danos Físicos ao Conteúdo (DFC), roubo ou furto, danos elétricos e pagamento de aluguel. A assistência domiciliar 24 horas se estende a todo o contrato de financiamento. E os sorteios mensais sobem para até R$750 mil. 

Tenha mais segurança ao financiar com a Loft Cred

Ter um amparo em caso de imprevistos não só é necessário como é obrigatório em financiamentos imobiliários. No entanto, existem outras formas de conferir mais segurança a toda a operação.

Uma delas é poder contar com a ajuda de especialistas em crédito imobiliário ao longo de todo o processo de contratação do seu financiamento. Ter esse tipo de suporte é essencial para tirar dúvidas sobre seguros, cláusulas de contratos, taxas e outros. E se sentir confiante de que está fazendo escolhas certas. 

A Loft Cred atua justamente para que o cliente se sinta tranquilo ao financiar. Com uma equipe de especialistas, estamos a postos para orientá-lo e lidar com toda a papelada e trâmites cartoriais do seu financiamento gratuitamente. Mais do que isso: nossos especialistas negociam com os principais bancos do país por você.

Nossa experiência na mediação junto aos bancos garante que você tenha a melhor proposta de crédito possível para o seu perfil. Para financiar com a Loft Cred, não é preciso ser cliente prévio da Loft. Você pode fazer tudo de casa, inteiramente online. 

Acesse o simulador de parcelas da Loft Cred e financie seu novo imóvel conosco.