Venda de apartamento na Barra: o momento é de valorização

apartamento-barra-da-tijuca
Tempo de leitura: 4 minutos

Com valores de venda entre os mais caros do Rio em 2020, a Barra da Tijuca surge fortalecida pós-isolamento social.

Passar algumas horas por dia em casa é uma coisa. Passar todas as horas, de todos os dias, por meses, é outra. Depois dos acontecimentos de 2020, a maioria dos brasileiros se identificaria com essa frase em algum grau, e muitos decidiram agir – e o mercado imobiliário não vende tantos imóveis há anos.

E como a Barra da Tijuca, que está entre os bairros mais cobiçados do Rio, se encaixa nesse novo cenário? Descubra neste post!

Como está o mercado imobiliário no Rio de Janeiro?

De acordo com a pesquisa mensal do Índice FipeZap de vendas residenciais, em fevereiro de 2021 o preço médio do metro quadrado no Rio de Janeiro foi R$ 9.494. Trata-se do metro quadrado mais valioso do Brasil, um título que o Rio carrega há muitos anos.

Ainda segundo os números do FipeZap, o Rio vive um momento de valorização imobiliária depois de anos de crise, assim como o mercado imobiliário como um todo, devido a um conjunto de fatores, tais como crédito imobiliário mais barato e mudança de comportamento do consumidor devido à pandemia de COVID-19.

No Rio, isso se traduz da seguinte forma: nos últimos 12 meses, o preço médio de venda residencial na cidade subiu 2,05%.

Uma outra pesquisa, feita em 2020 pelo Sindicato da Habitação do Rio (Secovi-Rio), mostrou que o mercado carioca tinha razão para estar otimista: agosto trouxe os melhores resultados de venda desde 2017

E trouxe novidades sobre os ótimos preços na Barra da Tijuca: entre os mais de 18 mil imóveis vendidos entre janeiro e agosto de 2020, os valores médios mais altos foram no Leblon (R$ 2.513.986), Ipanema (R$ 2.424.344) e na Barra da Tijuca (R$ 1.400.720).

Os bairros mais valorizados do RJ

Segundo o Índice FipeZap de fevereiro de 2021, estes são os 5 bairros mais valiosos do Rio de Janeiro: 

  • Leblon: R$ 21.458 por metro quadrado 
  • Ipanema: R$ 18.674 por metro quadrado 
  • Vidigal: R$ 16.927 por metro quadrado  
  • Lagoa: R$ 16.089 por metro quadrado  
  • Gávea: R$ 15.698 por metro quadrado 

O preço do metro quadrado na Barra da Tijuca

Segundo uma pesquisa de 2021 do Centro de Pesquisa e Análise da Informação do Secovi-Rio, o metro quadrado médio da Barra da Tijuca em sua parte mais valorizada, nas avenidas do Pepê e Lúcio Costa, está próximo dos mais caros do Rio de Janeiro: R$ 15.119

Enquanto isso, o metro quadrado da Barra da Tijuca como um todo está R$ 9.711.

E como todo bairro tem seus pedaços mais desejados, outra análise do Secovi-Rio apontou as seguintes como as ruas mais caras da Barra da Tijuca:

  • Avenida do Pepê
  • Lúcio Costa
  • General Guedes da Fontoura
  • Bromélias da Península
  • João Carlos Machado
  • Desembargador João Claudino de Oliveira e Cruz
  • Avenida Tim Lopes
  • Coronel Malta Rezende 
  • Jardins de Santa Mônica

Por que a Barra da Tijuca está tendo maior procura por apartamentos?

Para especialistas no mercado imobiliário, os resultados positivos de vendas no Rio de Janeiro têm relação com o crédito imobiliário mais acessível e o período de isolamento social. As pessoas olharam em volta e se descobriram com novas necessidades residenciais, tais como cômodo para home office e melhores opções de lazer ao ar livre e nas redondezas.

Entre aqueles que procuram apartamentos de alto padrão, por exemplo, a demanda é por piscinas, varandas, jardins, churrasqueiras – por mais espaço, de forma geral. Tudo isso sem abrir mão de uma boa localização, que permita percorrer o bairro a pé, e de um condomínio com áreas comuns agradáveis. 

Apartamentos mais amplos

Converse com um corretor de imóveis sobre os prós e contras de bairros na Zona Sul e a Barra da Tijuca e ele vai lhe responder que, entre os grandes trunfos da Barra, está justamente ter apartamentos maiores em prédios modernos.

Por estarem praticamente todos construídos, os bairros da Zona Sul não costumam dispor de apartamentos muito amplos, e são todos vendidos por valores muito altos. 

Com o mesmo preço cobrado por um imóvel de 100 metros quadrados no Leblon, por exemplo, é possível comprar um apartamento com o dobro dessa metragem na Barra da Tijuca e dentro de um condomínio moderno e cheio de opções de lazer. 

Condomínios modernos e completos

Aqui, mais uma vez a Barra da Tijuca tem algo raro na Zona Sul: a modernidade de seus edifícios, que oferecem áreas comuns muito atraentes para quem agora passa mais tempo em casa com a família.

Por ser mais recente e aproveitar seus terrenos amplos, os imóveis da Barra já surgem respondendo às demandas contemporâneas de habitação. Trata-se de uma combinação que virou sonho para muitos compradores durante a pandemia de coronavírus.

Qualidade de vida em home office

Em resumo? Depois da valorização que aconteceu após as Olimpíadas, com a chegada da nova infraestrutura de transporte, a Barra da Tijuca vive mais um bom momento

Como o home office vai se tornar comum entre muitos profissionais no Rio, eles buscam uma melhor qualidade de vida – e estão de olho na Barra para encontrá-la.

Ela é uma alternativa cada vez mais atraente para quem não vai precisar mais se deslocar tanto e quer viver de outra forma na cidade: com mais espaço, verde e tranquilidade. 

Leia também: Expectativas para o mercado imobiliário para 2021

A Loft ajuda você a encontrar o comprador ideal para seu imóvel

A Loft vem para facilitar o processo de compra e venda de apartamentos para todas as partes. Vendedores, compradores e corretores encontram aqui, em uma das 10 startups de transação imobiliária mais valiosas do mundo, um parceiro!

Aos proprietários que querem vender seus imóveis, a Loft oferece vantagens como:

E a ótima notícia para quem quer vender um apartamento na Barra da Tijuca: a Loft  está atuando na Barra!

Clique aqui e saiba mais sobre vender com a Loft!